Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Marcha da CGTP-IN sem incidentes

A marcha contra o desemprego da CGTP, que percorre o centro de Lisboa, não registou até ao momento qualquer incidente, apesar do aparato policial e da dureza das palavras de ordem dos manifestantes contra o Governo.
13 de Outubro de 2012 às 18:08
marcha, CGTP, protesto, desemprego
marcha, CGTP, protesto, desemprego FOTO: Lusa

Na cabeça da manifestação, desde a Praça da Figueira (local da concentração) até à Calçada do Combro, seguiram sempre um carro de duas carrinhas da PSP, com algumas dezenas de agentes espalhados pelas zonas laterais do protesto.

Com grande parte do trajecto da manifestação já percorrido, que terminará em frente à Assembleia da República, nenhum incidente se registou, e houve mesmo a deliberada intenção de se evitar o Largo do Chiado, que tem várias esplanadas, escolhendo-se como alternativa a descida da Rua Nova da Trindade.

Em contraste com a ordem que caracterizou o desfile, esteve a dureza das palavras de ordem gritadas pelos manifestantes: "Governo de aldrabões não passam de ladrões", gritou-se alto e bom som.

Também se acenaram centenas de lenços brancos, em sinal de uma hipotética despedida do executivo de coligação PSD/CDS, com os manifestantes a cantarem em coro "Só mais um empurrão e o Governo vai ao chão".

Além de lenços, viram-se na manifestação largas centenas de bandeiras vermelhas, a maioria da CGTP-IN, mas também letreiros de protesto contra a taxa de desemprego registada em Portugal.

"Desemprego em Portugal é a vergonha nacional", referiam alguns dos cartazes que foram empunhados pelos manifestantes.

A marcha da CGTP-IN contra o desemprego, que terminará na Assembleia da República com um discurso do secretário-geral Arménio Carlos, começou no passado dia 05 com uma parte dos participantes a partirem de Braga, passando depois por concelhos como Matosinhos, Porto, Gaia, Feira, Aveiro, Coimbra, Figueira da Foz, Leiria, Marinha Grande, Tomar, Entroncamento e Vila Franca de Xira.

Em simultâneo, outros manifestantes partiram de Vila Real de Santos António, percorrendo o Algarve (desde Tavira a Lagos), Castro Verde, Aljustrel, Moura, Serpa, Beja, Vidigueira, Montemor-o-Novo, Alcácer do Sal, Grândola, Setúbal, Moita, Barreiro, Seixal e Almada.

Para as próximas semanas, a CGTP-IN convocou já uma greve geral para 14 de Novembro e agendou uma acção de rua para dia 31 de Outubro, coincidindo com a votação na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2013.

 

marcha CGTP protesto desemprego
Ver comentários