Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Marisa Matias debate hoje a emergência climática no arranque da rentrée do BE

Fórum Socialismo 2019 começa esta sexta-feira, no Porto.
Lusa 30 de Agosto de 2019 às 08:28
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
Marisa Matias
O Fórum Socialismo 2019, a rentrée política do BE, começa esta sexta-feira, no Porto, com um debate sobre as respostas para a emergência climática que conta com a participação da eurodeputada Marisa Matias e do investigador João Camargo.

A pouco mais de um mês das eleições legislativas de 06 de outubro, o BE escolhe o Porto para fazer a sua rentrée, cujo momento político mais esperado será o discurso da coordenadora bloquista, Catarina Martins, no comício de encerramento de domingo.

Até ao discurso de Catarina Martins haverá mais de 50 debates no Socialismo 2019, com nomes do BE e convidados de fora do partido, como é o caso da antiga ministra socialista com a pasta da Saúde, Ana Jorge.

Para a abertura, agendada para a noite desta sexta-feira, os bloquistas apostam numa das bandeiras eleitorais para as legislativas, a emergência climática, uma sessão na qual intervêm Marisa Matias (que volta a abrir o Fórum Socialismo) e João Camargo, especialista em alterações climáticas.

Precisamente a eurodeputada e dirigente bloquista, em antecipação à Lusa, assegurou que a rentrée política do BE vai focar-se no projeto que o partido tem para o país, "mais do que debater as relações entre partidos".

Apesar das melhorias que a atual solução política trouxe a Portugal, o BE não esquece "aquilo que ficou por resolver", sendo as áreas do trabalho e da saúde aquelas onde residem os maiores problemas.

"O PS decidiu tentar resolver as questões laborais com a direita e isso significa que teremos muitos anos pela frente para lutar pelos direitos laborais e por um reconhecimento do trabalho com direitos em Portugal, que é preciso fazer", concretizou.

Na saúde, e apesar da importância da aprovação da nova Lei de Bases da Saúde, "continua tudo por fazer, praticamente", apontou Marisa Matias.

"Que gestão para o Serviço Nacional de Saúde?" é precisamente o título do debate que contará com a participação de Ana Jorge e o deputado do BE com a pasta da saúde, Moisés Ferreira, marcado para o final da manhã de sábado.

Antes, tempo para debater as "encruzilhadas à esquerda", um painel com o líder parlamentar bloquista, Pedro Filipe Soares.

Os fundadores do partido também estarão presentes no Socialismo 2019, com Luís Fazenda a debater, no sábado, a "Esquerda europeia em perspetiva", Francisco Louçã, também no sábado, a falar sobre "Eles andam por aí nas redes sociais: a nova extrema-direita" e Fernando Rosas, já no domingo, a discutir sobre "O fascismo ontem e hoje".

As questões laborais, o feminismo, a regionalização, a natureza, os animais, as touradas e a desinformação são outros dos temas em debate ao longo destes três dias.

Inicialmente, no programa provisório disponibilizado, constava o nome de Miguel Duarte, o jovem ativista português que está a ser investigado em Itália por suspeita de ajuda à imigração ilegal, que não poderá estar presente no Socialismo 2019 por impedimentos pessoais, segundo explicou fonte do partido à agência Lusa.
Ver comentários