Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Melo acusado de abandonar militantes

Sandra Mota, ex-presidente da concelhia da Póvoa do Lanhoso do CDS, acusa Nuno Melo, de estar “a falhar” aos militantes locais. O presidente da distrital responde: “Estivesse o partido nacional como está em Braga...”.
17 de Dezembro de 2006 às 00:00
A militante democrata-cristã afirmou ao CM que a concelhia da Póvoa de Lanhoso está sem delegado nomeado desde Janeiro do presente ano, altura em que cessou funções , e de não ter sede devido a uma ordem de despejo. Sandra Mota acusa Nuno Melo de “negligenciar” os militantes, que “estão à deriva”, sem apoio do partido. A direcção nacional do partido, em Lisboa, terá sido informada há cerca de um mês, tendo ficado de “ouvir a versão” do presidente da distrital.
Nuno Melo esclarece que José Eduardo Vieira é o delegado nomeado para a localidade desde o início do ano. Porém, considera que, “se não houvesse concelhia na Póvoa do Lanhoso, não vinha daí mal ao Mundo”. E justifica a inexistência de sede: as rendas são pagas pelos presidentes das concelhias e “a apoiante não pagava”. Daí a ordem de despejo por parte da senhoria do imóvel. Para o líder do grupo parlamentar do CDS estes militantes “não têm ‘estaleca’” e “deviam era fazer política nacional”.
Póvoa do Lanhoso é um dos catorze concelhos pertencentes à distrital de Braga, onde Nuno Melo considera que o CDS está bem implementado, mas que “ainda tem de fazer muito trabalho”. O ataque à sua liderança é desvalorizado, recordando que foi eleito com 78 por cento dos votos nas últimas eleições.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)