Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Mendes fica sem rival

O Conselho de Jurisdição do PSD invalidou ontem por falta de assinaturas a candidatura de José Alberto Pereira Coelho à liderança do PSD, afastando das ‘directas’ o único adversário de Marques Mendes na votação para a presidência do partido.
28 de Abril de 2006 às 00:00
O rival do líder do PSD que soube do facto numa visita à sede reagiu com ameaças, prometendo suprir as irregularidades até amanhã e, em caso de dificuldade, recorrer aos tribunais, interpondo uma providência cautelar. “E então vamos ver quando é que vão ser as eleições directas”, disse.
Segundo o presidente do Conselho de Jurisdição, Guilherme Silva, das 1899 assinaturas apresentadas pelo candidato apenas 1165 foram “apuradas como válidas”, ou seja, menos do que as 1500 exigidas pelo regulamento. Entre as assinaturas invalidadas contavam-se militantes sem quotas em dia, assinaturas duplicadas e até mesmo “dois militantes falecidos que vinham indicados”, exemplificou Guilherme Silva.
José Alberto Pereira Coelho terá de apresentar as assinaturas válidas em falta até amanhã, ao final do dia, devendo o Conselho de Jurisdição reunir-se novamente na terça-feira para as contabilizar.
AGENDA PSD
CALENDÁRIO
As eleições directas para eleger o novo presidente do partido decorrerão em todas as secções do PSD entre as 18h00 e as 23h00 do próximo dia 5 de Maio. Poderão votar 55 mil militantes, ou seja, menos de metade dos 120 mil inscritos no partido. Duas semanas depois, a 19, 20 e 21 de Maio, reunirá na Póvoa de Varzim o 29.º Congresso do PSD.
MOÇÃO DE MENDES
A moção a apresentar no Congresso pelo actual líder Marques Mendes tem por título ‘Credibilidade para Vencer’ e segundo fonte partidária aparece como “essencialmente virada para o exterior e muito pouco para o interior do partido”. No balanço do seu mandato, Mendes destaca a vitória dos social-democratas nas Autárquicas e de Cavaco Silva nas Presidenciais.
Ver comentários