Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Menezes acusa Mendes de secretismo

Luís Filipe Menezes acusou ontem, em Braga, a direcção do PSD de ter preparado o Congresso de uma forma minimalista, com algum secretismo e sem dinamizar o debate com vista à participação dos militantes.
3 de Março de 2006 às 00:00
“Faltam 15 dias para o Congresso e só agora é que nos vão ser enviadas as propostas de alteração dos estatutos”, disse, salientando que ele próprio vai ter de reunir, em 72 horas, 1500 assinaturas de militantes para poder propor as suas próprias alterações aos Estatutos. Luís Filipe Menezes criticou a postura da direcção do PSD, lembrando que em 1991 Dias Loureiro percorreu todas as secções do País para debater as propostas de alteração dos Estatutos, “em contraste com o que agora aconteceu, pois o debate parece ter sido feito na clandestinidade”.
Apesar das limitações, o autarca de Gaia e um dos putativos candidatos à liderança adiantou que, se conseguir as assinaturas, proporá ao Congresso não só a eleição directa do líder, mas também a votação dos militantes de base para os cargos de deputado ou autarca.
TOXICODEPENDENTES
O líder do PSD, Marques Mendes, defendeu ontem em Almada a criação de incentivos estatais às empresas que admitam nos seus quadros ex-toxicodependentes. “Na área da toxicodependência a grande prioridade mediática e política tem sido as salas de chuto (...) quando deveria ser a aposta na prevenção e reinserção social”, afirmou.
Ver comentários