Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Costa quer repetir geringonça alargada ao PAN. Iniciativa Liberal, Chega e Livre no Parlamento

Rui Rio nega “derrota” do PSD. CDS perde deputados e Cristas abandona. PAN sobe para quatro lugares.
Correio da Manhã 6 de Outubro de 2019 às 08:31
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa à chegada do Hotel Altis
Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa à chegada do Hotel Altis
Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
António Costa à chegada do Hotel Altis
Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleitores exercem o direito ao voto nas Legislativas
Eleições Legislativas 2019
António Costa

Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro foram este domingo chamados às urnas para escolher a constituição da Assembleia da República para a próxima legislatura.

O PS venceu as eleições legislativas de domingo com 36,65% dos votos e 106 deputados eleitos, segundo os resultados finais provisórios.

De acordo com dados da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral, o PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,90% dos votos e 77 deputados.

Elegeram ainda deputados para a Assembleia da República BE (9,67% dos votos e 19 deputados); CDU (6,46% e 12 deputados); CDS-PP (4,25% e 5 deputados); PAN (3,28% e 4 deputados); Chega (1,30% e 1 deputado); Iniciativa Liberal (1,29% e 1 deputado) e Livre (1,09% e 1 deputado).

O PS venceu sem maioria absoluta, para a qual precisaria de, pelo menos, 116 deputados.

Estão ainda por apurar quatro deputados, dois pelo círculo eleitoral da Europa e dois pelo círculo fora da Europa.

Assunção Cristas anunciou a saída da liderança do CDS após as primeiras projeções à boca da urna mostrarem que o partido sofreu uma derrota histórica. "Tomei a decisão de não me recandidatar", afirmou.





Ao minuto:
01h01 - Taxa de abstenção regista novo recorde ao situar-se nos 45,5%: A taxa de abstenção registou um nove recorde nas eleições legislativas de domingo, ao situar-se nos 45,5%, segundo a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

Os dados da abstenção das eleições de domingo dizem respeito aos cerca de 9,3 milhões de eleitores recenseados no território nacional, faltando ainda os cerca de dois milhões de eleitores residentes no estrangeiro.

A taxa de abstenção nas eleições legislativas tem vindo a registar um aumento ao longo dos anos.

Em 2015, a taxa de abstenção tinha atingidos os 44,4% e, em 2011, ficou nos 41,1%, tendo dois anos antes se situado nos 39,4%.

00h52 - 
A cabeça de lista do Livre por Lisboa, eleita nas legislativas de domingo, afirmou hoje que "não há lugar para extrema-direita no parlamento", salientando que o seu partido será "a esquerda anti-fascista e anti-racista".

"Não há lugar para extrema-direita no parlamento português", gritou Joacine Katar Moreira no púlpito montado na Fábrica Braço de Prata, em Lisboa, após confirmar que tinha garantido a eleição.

00h50 - 
Um advogado de Monção apresentou uma queixa-crime contra o deputado do PSD hoje eleito pelo círculo de Viana do Castelo, Eduardo Teixeira, por alegadas falsas presenças durante o seu primeiro mandato na Assembleia da República, entre 2011 e 2015.

"A queixa-crime contra incerto foi formalizada através de correio eletrónico no Ministério Público (MP) de Viana do Castelo, na sexta-feira, cerca das 17:00. Apresentei a queixa-crime como cidadão indignado com este tipo de caso que deixa transparecer que a Assembleia da República é um antro de falsificações", afirmou hoje à Lusa Jorge Nande.

A Lusa contactou Eduardo Teixeira que disse desconhecer qualquer queixa-crime com esse teor.

00h45 - 
André Silva, líder do PAN, assinalou a "vitória" do partido e ressalvou o facto de o mesmo ter quadruplicado o número de mandatos no Parlamento.

"Somos o único partido onde os homens estão em minoria. Somos um partido feminista", disse.

00h41 - 
Vitorino Silva, conhecido por Tino de Rans, lamentou a não eleição de deputados, mas prometeu voltar à luta e talvez antes das próximas autárquicas, pois acredita que o próximo Governo vai cair antes do fim da legislatura.

Em declarações à agência Lusa a propósito dos resultados conhecidos das eleições de domingo, nas quais o seu partido RIR - Reagir, Incluir e Reciclar não conseguiu eleger qualquer deputado, Tino é hoje um homem orgulhoso.

"Estamos orgulhosos, conseguimos um bom resultado", disse Vitorino Silva, lembrando que as sondagens lhe davam zero por cento de votos.

00h40 - Presidente da República ouve partidos na terça-feira: 
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai ouvir na terça-feira os partidos com representação parlamentar - que são, pelo menos, dez - tendo em vista a indigitação do primeiro-ministro.

Esta decisão foi anunciada através de uma nota publicada no portal da Presidência da República na Internet, na qual o chefe de Estado "cumprimenta todos os cidadãos que exerceram o seu direito de voto" nas legislativas de domingo e "saúda ainda todos os candidatos que concorreram a estas eleições e felicita, em particular, os que foram eleitos".

00h39 -  PS é o partido mais votado em Castelo Branco: 
O PS venceu no distrito de Castelo Branco nas eleições legislativas de domingo, com 40,88% dos votos e 3 deputados eleitos, quando estão todas as 120 freguesias apuradas.

00h38 - PS é o mais votado em Setúbal: 
O PS venceu as eleições legislativas de domingo no distrito de Setúbal, com 38,58% dos votos e 9 deputados eleitos, quando estão apuradas as 55 freguesias.

O PCP/PEV passou de terceira para segunda força política, com 15,75% dos votos, apesar de ter baixado a votação e de ter perdido um deputado, elegendo três, o mesmo número de mandatos obtido pelo PSD.

00h37 - PS conquista Lisboa a PSD/CDS-PP: 
O PS venceu no distrito de Lisboa nas eleições legislativas de domingo, com 36,74% dos votos e 20 deputados eleitos, quando estão todas as 134 freguesias apuradas.

Em 2015, o PS havia sido a segunda força mais votada em Lisboa, a seguir à então coligação PSD/CDS-PP.

00h34 -
Braga mantém-se como o único distrito em Portugal onde o partido mais votado acaba por ser sempre o vencedor das legislativas.

Apesar de, em Braga, o PS ter conseguido nestas legislativas o mesmo número de deputados do que o PSD, os socialistas registaram mais dois pontos percentuais de votos, ficando assim em primeiro lugar no distrito.

00h14 - 
O partido Livre elegeu uma deputada, Joacine Katar Moreira, nas legislativas de domingo, pelo círculo eleitoral de Lisboa.

00h12 - 
O partido Chega elegeu um deputado, André Ventura, nas legislativas de domingo, pelo círculo eleitoral de Lisboa.

00h10 - 
O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) elegeu o quarto deputado nas legislativas de domingo, pelo círculo eleitoral de Setúbal.

Às 00h18, quando falta apurar os resultados numa freguesia, PAN tinha quatro deputados eleitors: André Silva e Inês Sousa Real, por Lisboa, Bebiana Cunha, pelo Porto e Maria Cristina Rodrigues por Setúbal.

00h05 - António Costa
assumiu o "encargo" de formar Governo para os próximos quatro anos. Para o líder dos socialistas e atual primeiro-ministro o PS "ganhou as eleições e reforçou a sua posição política em Portugal."


A conclusão retirada por Costa com base nos resultados eleitorais é que "os portugueses gostaram da geringonça e desejam a atual solução política agora com um PS mais forte".

"Somos um grande partido popular e um partido nacional", disse Costa, referindo-se aos 15 círculos eleitorais que o PS venceu.

23h59 - PS conquista Porto a PSD/CDS-PP: 
O PS venceu no distrito de Porto nas eleições legislativas de hoje, com 36,65% dos votos e 17 deputados eleitos, quando estão todas as 243 freguesias apuradas.

Em 2015, ano das legislativas anteriores, o PS havia sido a segunda força mais votada no Porto, tendo então conseguido 32,72% dos votos e eleito 14 deputados para a Assembleia da República.

Há quatro anos, a então coligação PSD/CDS-PP ganhou as eleições no distrito do Porto, com 39,59% dos votos e 17 deputados.

Este ano, o PSD teve 31,16% (15 deputados) e o CDS-PP foi a sexta força mais votada, com 3,34% (1 deputado).

Elegeram ainda deputados pelo Porto o BE (4 deputados), a CDU (2) e o PAN (1).

23h54 -
Após duas horas no 18.º andar do Hotel Marriott, Rui Rio desceu e afirmou que, contra tudo e todos, o PSD saiu vitorioso. "Falharam manifestamente as profecias sobre a hecatombe do PSD. Mostrámos que independentemente das dificuldade o PSD é capaz de apresentar a única alternativa para governar Portugal."


Deixou ainda recados a personalidades internas do partido: "Cumprimos a nossa obrigação apesar da permanente instabilidade dentro do partido, através da intervenção de comentadores com agenda política contra o PSD. Uma instabilidade de uma dimensão nunca antes vista dentro do PSD e motivada por ambições pessoais. Em ataques diretos aos meios de comunicação social, o líder do PSD afirmou que o anúncio de uma morte anunciada e a partilha de sondagens que ditavam uma derrota mais expressiva foram "uma tentativa de denegrir a imagem do PSD". 

Rui Rio admitiu que o PSD não atingiu o seu principal objetivo mas que a "vitória do PS não foi assim tão grande". 

Questionado se vai abandonar a liderança do PSD, Rui Rio começou por dizer que a pergunta partia do pressuposto errado, de que o PSD tinha tido a "grande derrota que muitos profetizavam e até desejavam".

"Essa pergunta que me está a fazer vai merecer serenidade e ponderação e ouvir as pessoas", afirmou.

23h37 -
O PAN elegeu o seu terceiro deputado nas legislativas de hoje, Inês Sousa Real, a número dois da lista do círculo eleitoral de Lisboa.

Quando faltavam apurar os resultados em seis freguesias do país, o PAN tinha três deputados eleitos: André Silva e Inês Sousa Real, por Lisboa, e Bebiana Cunha, pelo Porto.

23h31 - PS ganha Aveiro, com mesmos eleitos do PSD e CDS-PP: 
O PS venceu no distrito de Aveiro nas eleições legislativas de hoje, com 34,31% dos votos e 7 deputados, mais um que PSD, que em 2015 com CDS-PP teve o dobro dos socialistas, com todas as 147 freguesias apuradas.

Além dos 7 mandatos do PS e 6 do PSD, nas legislativas de hoje o Bloco de Esquerda conseguiu dois deputados e o CDS-PP um eleito.

Em 2015, a coligação PSD/CDS-PP teve 10 mandatos, contra cinco dos socialistas e o BE apenas tinha visto eleger um deputado.

23h28 -
O partido Iniciativa Liberal elegeu um deputado, João Cotrim de Figueiredo, nas legislativas de hoje, pelo círculo eleitoral de Lisboa.

23h22 - PS conquista Braga à coligação PSD/CDS-PP: 
O PS obteve 36,4% dos votos no círculo de Braga e elegeu oito deputados, mais um do que em 2015, passando a ser a força política mais votada no distrito, quando estão apurados os resultados das 347 freguesias.

O PSD ficou em segundo lugar com 34% dos votos e obteve o mesmo número de mandatos conseguidos pelo PS, oito. O BE elegeu dois deputados e o PCP perdeu o único mandato obtido em 2015.

Em 2015, a coligação PSD/CDS-PP obteve 45,6% dos votos no distrito de Braga, elegendo 10 deputados, oito sociais-democratas e dois centristas.

23h16 - Carlos Guimarães Pinto, da Iniciativa Liberal
, congratulou o resultado do partido. "Hoje fizémos história pela primeira vez. Com menos de dois anos de vida, o partido vai ter representação no Parlamento", disse em declarações aos jornalistas.


"O PS mantém o País estagnado há quatro anos e vai governar por mais quatro anos (...) agora vão ter uma verdadeira oposição ideológica", afirmou.

23h01 - 
Heloísa Apolónia está fora do Parlamento, depois de ter falhado as eleições por Leiria, um círculo onde a CDU não consegue eleger ninguém desde 1985.

A advogada, de 50 anos, falha assim a eleição pela primeira vez desde 1991, primeiro ano em que a deputada do Partido Os Verdes foi eleita.

23h00 -
A Projeção final da CMTV aponta para que o PS eleja 110 deputados. Segue-se o PSD, com 79 lugares no Parlamento e o Bloco de Esquerda com 18. O CDU conquistou 11 assentos na Assembleia da República. Mais atrás está o CDS com cinco representantes e o PAN com quatro. Por último, os partidos Chega, Livre e Iniciativa Liberal estreiam-se no Parlamento, com um deputado cada.

22h51 - PS ganha em Coimbra, retirando um deputado a PSD/CDS-PP
: O PS venceu no distrito de Coimbra nas eleições legislativas, com 39,02% dos votos e 5 deputados eleitos, mais dois que o PSD, que ganhou em 2015 coligado com CDS-PP, quando estão todas as 155 freguesias apuradas.

Nas anteriores legislativas, a coligação PSD/CDS-PP venceu com 37,18% e quatro mandatos, seguido do PS com 35,28%, também com quatro eleitos, enquanto Bloco de Esquerda teve 9,89% e um deputado, mandato que mantém nestas eleições.

É o seguinte o quadro completo dos resultados às 22h31, em comparação com os dados correspondentes às mesmas freguesias na eleição de 2015.

22h50 - PSD é o partido mais votado em Leiria: 
O PSD venceu no distrito de Leiria nas eleições legislativas de hoje, com 33,51% dos votos e 5 deputados eleitos, quando estão todas as 110 freguesias apuradas.

Com 31,07% e 4 deputados eleitos, o PS foi o segundo partido mais votado em Leiria. O Bloco de Esquerda elegeu um deputado em Leiria, o círculo eleitoral por onde se candidatou a atual deputada do Partido Ecologista Os Verdes, que assim ficará fora da Assembleia da República na próxima legislatura.

Em 2015, em Leiria, a então coligação PSD/CDS conseguiu 6 deputados, o PS elegeu 3 e o BE obteve 1.

22h49 - O PAN elegeu o seu segundo deputado nas legislativas no distrito do Porto, duplicando assim a representação parlamentar que havia conseguido em 2015.

22h48 - 
O presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, admitiu que seguiria o exemplo de Assunção Cristas se o partido tivesse 40 anos e mostrou-se disposto a continuar ou a sair.

Pedro Santana Lopes, que reagia desta forma aos resultados conhecidos das eleições de hoje, felicitou o PS e António Costa pela vitória nas legislativas e ainda os novos partidos que "conseguiram ou vão conseguir representação parlamentar".

Assumindo-se como o responsável pelo resultado da Aliança - que não deverá eleger deputados, a confirmarem-se as projeções - Pedro Santana Lopes referiu-se ao anúncio de Assunção Cristas, de que não se candidatará à presidência do CDS, como tendo "um sabor a muita injustiça".

22h47 - 
O vice-presidente do PSD Nuno Morais Sarmento considerou que há razões para satisfação com o resultado do partido nestas eleições legislativas, e salientou que "a recuperação" face ao que se antecipava na pré-campanha se deve a Rui Rio.

"Há razões para ficar satisfeitos por não se verificar aquilo que andavam desenhando no princípio da pré-campanha, que era um hecatombe da votação do PSD", afirmou o dirigente aos jornalistas no hotel onde os sociais-democratas estão reunidos para acompanhar a noite eleitoral, em Lisboa.

Por isso, o núcleo duro que está reunido com o presidente do partido nos andares superiores do hotel está "bastante tranquilo", confessou.

22h46 - PS mais votado em Santarém, conquista distrito ao PSD/CDS-PP: 
O PS venceu no distrito de Santarém nas eleições legislativas de hoje, com 37,13% dos votos e 4 deputados eleitos, o mesmo número de mandatos que o PSD/CDS-PP obteve em 2015, quando estão todas as 141 freguesias apuradas.

O PSD ficou agora com três deputados, enquanto BE e PCP/PEV mantiveram um deputado cada.

Em 2015, a coligação PSD/CDS-PP teve 35,82%, elegendo três sociais-democratas e um centrista.

22h46 - PSD é o partido mais votado em Bragança: 
O PSD venceu no distrito de Bragança nas eleições legislativas de hoje, com 40,78% dos votos e 2 deputados eleitos, quando estão todas as 226 freguesias apuradas.

22h45 - 
Boletins de voto insuficientes, outros que não chegaram ou cartas devolvidas são alguns dos problemas denunciados por dezenas de portugueses a viver na Alemanha na rede social Facebook, mas as queixas estão ainda a ser reunidas.

"O meu marido recebeu a carta e eu não, e tenho registo no consulado", escreve Carla Marques no grupo "Portugueses e Portuguesas em Berlim" onde as queixas se vão somando. Também José Cerqueira revela que tem a morada atualizada desde agosto do ano passado, mas nem ele, nem a mulher, receberam o boletim de voto em casa.

Manuel Campos, presidente do GRI-DPA, o Grupo de Reflexão e Intervenção da Diáspora Portuguesa da Alemanha está a juntar todas as reclamações para poder enviá-las para Portugal. "O objetivo é informar a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas para corrigir e evitar erros no futuro", revelou à agência Lusa.

22h44 - PS conquista Viana do Castelo, com 34,78%: 
O PS foi o partido mais votado no círculo de Viana do Castelo nas legislativas de hoje, com 34,78% dos votos e três mandatos, mais um do que em 2015, que conquistou à então coligação PSD/CDS-PP.

Quando estão apurados os resultados das 208 freguesias do distrito, o PSD ficou em segundo lugar, com 33,8% dos votos e três deputados eleitos. Em 2015, a coligação PSD/CDS obteve 45,5% dos votos e elegeu quatro deputados, três sociais-democratas e um centrista.

22h43 - 
A chegada do líder do PAN à sede de campanha do partido provocou sorrisos entre os presentes. Tudo porque a assessora de comunicação do partido, Naíde Muller, estava à espera de André Silva num elegante vestido… a imitar pele de tigre.


























22h30 - Já há um candidato ao lugar de Assunção Cristas para a liderança do CDS: 
Abel Matos Santos, porta-voz da Tendência Esperança em Movimento-CDS (TEM-CDS), saudou hoje a demissão de Assunção Cristas da presidência do partido, e vai candidatar-se à liderança no próximo congresso.

22h24 - 
A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, mostrou-se esta noite disponível para uma "solução de estabilidade" com o PS ou, em alternativa, para realizar "negociações ano a ano" que permitam viabilizar leis.

Sublinhando que o PS "tem todas as condições" para formar governo, Catarina Martins afastou a hipótese de o Bloco de Esquerda integrar o Governo, afirmando que cumprirá o mandato no Parlamento.

Catarina Martins não disse se aceitaria um acordo com o PS sem o PCP. "É prematuro", disse.

22h22 -  PS é o partido mais votado em Faro: 
O PS venceu no distrito de Faro nas eleições legislativas de hoje, com 36,76% dos votos e 5 deputados eleitos, quando estão todas as 67 freguesias apuradas.

Os socialistas conquistaram um mandato a mais que em 2015, com a CDU a perder o deputado que tinha.

22h21 - PSD é o partido mais votado em Vila Real: 
O PSD venceu no distrito de Vila Real nas eleições legislativas de hoje, com 39,04% dos votos e 3 deputados eleitos, quando estão todas as 197 freguesias apuradas.

De acordo com os resultados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna, o PS é a segunda força mais votada, com 37,21% dos votos, e elegeu dois deputados no círculo eleitoral de Vila Real.

Mantém-se a distribuição de deputados de 2015, quando a então coligação eleitoral PSD/CDS-PP conseguiu 3 mandatos e o PS obteve 2.

22h20 - PSD é o partido mais votado na Madeira, com o mesmo número de deputados do PS: 
O PSD venceu na Região Autónoma da Madeira nas eleições legislativas de hoje, com 37,15% dos votos e 3 deputados eleitos, quando estão todas as 54 freguesias apuradas. Na cidade do Funchal, o Partido Socialista saiu mesmo vencedor.

O PS elegeu o mesmo número de deputados que os sociais-democratas, com o Bloco de Esquerda a perder para os socialistas o mandato que alcançara em 2015.

22h20 - PS é o partido mais votado na Guarda, PSD perde um deputado: 
O PS venceu hoje as eleições legislativas no distrito de Guarda, com 37,55% dos votos e dois deputados eleitos, enquanto o PSD obteve o terceiro mandato num círculo eleitoral que perdeu um representante face às eleições de 2015.

Com as 242 freguesias do círculo eleitoral apuradas, os resultados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna indicam que o PSD obteve 34,37% dos votos e perdeu um mandato em relação às legislativas anteriores.

Contudo, este ano o círculo eleitoral da Guarda elege três deputados (e não quatro, como em 2015), devido à diminuição da população.

22h19 - Oito eleitores de Barrancos votaram no PAN:
 O PAN, principal partido contra as touradas em Portugal, obteve oito votos no concelho de Barrancos, único no país onde os touros de morte são legalizados.

Em Barrancos, o PS ficou em primeiro lugar, com 39,6% dos votos, seguido da CDU, com 23,5%, e do PSD, com 80 votos, representando 12%. Em quarto lugar ficou o BE com 7,39% e em quinto o CDS.

O partido de direita Chega obteve 15 votos em Barrancos, ficando antes do PAN, que conseguiu oito votos dos eleitores do concelho onde os touros de morte estão legalizados.

A votação do PAN representa 1,2% dos votos de Barrancos.

22h12 - PSD é o partido mais votado em Viseu: 
O PSD venceu no distrito de Viseu as eleições legislativas de hoje, com 36,26% dos votos e 4 deputados eleitos, menos dois que os conquistados em 2015 quando concorreu coligado com o CDS-PP, quando estão todas as 277 freguesias apuradas.

O PS conquistou mais um deputado que há quatro anos, quando obteve três mandatos.

22h10 - PS é o partido mais votado em Évora, PSD perde deputado: 
O PS venceu no distrito de Évora nas eleições legislativas de hoje, com 38,33% dos votos e 2 deputados eleitos, quando estão todas as 69 freguesias apuradas.

De acordo com os resultados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna, a CDU foi a segunda força mais votada em Évora e elegeu um deputado.

Com este resultado, o PSD perde o deputado que elegeu em Évora em 2015, quando se candidatou em coligação com o CDS-PP.

22h09 - Pela primeira vez houve abstenção superior a 68% num concelho:
Desde 1976 que a taxa de abstenção nunca tinha sido superior a 68% num só concelho. Isso mudou hoje: o concelho de Vila Franca do Campo, no arquipélago dos Açores, apenas 29,6% dos eleitores foram votar. Ou seja, a abstenção fixou-se nos 70,4%, a maior taxa de sempre num concelho.

22h00 - Jerónimo de Sousa, líder do PCP
, reagiu aos primeiros resultados à boca das urnas, que revelam uma perda de massa eleitoral do partido, face às legislativas de 2015. "O que se impõe é andar para a frente. (...) Os resultados conhecidos traduzem um quadro parlamentar com uma relação de forças semelhantes às de 2015", disse durante o seu discurso na sede da CDU, na Avenida da Liberdade, em Lisboa.


Face à possível formação de Governo com os socialistas, Jerónimo de Sousa é peremptório: "Será em função das opções do PS que a CDU determinará o seu posicionamento", afirmou.

O líder dos comunistas deixa ainda a promessa de que "O PCP vai continuar a tomar iniciativa". "Lutaremos pelo salário mínimo nos 850 euros", termina.

21h50 - PS é o mais votado em Portalegre e retira deputado ao PSD: 
O PS venceu no distrito de Portalegre nas eleições legislativas de hoje, com 44,73% dos votos e dois deputados eleitos, retirando ao PSD o deputado eleito em 2015, quando estão todas as 69 freguesias apuradas.

21h47 - 
A antiga líder do PSD Manuela Ferreira Leite defende que Rui Rio deve continuar à frente do partido, considerando que este está numa "trajetória ascendente" e que impediu uma maioria absoluta do PS.

21h45 - PS é o partido mais votado em Beja, PSD perde deputado:
 O PS foi o partido mais votado no distrito de Beja nas eleições legislativas, com 40,71% dos votos e 2 mandatos, enquanto o PSD perde o deputado eleito em 2015.

De acordo com os resultados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna, quando estão as 75 freguesias apuradas no círculo de Beja, a coligação CDU (PCP/PEV) ficou em segundo lugar, com 22,8% dos votos e um deputado eleito e o PSD perdeu o deputado que elegeu em 2015.

21h43 - 
O fundador do Livre Rui Tavares congratulou-se com a possibilidade de o partido eleger deputados, mas manifestou-se preocupado com a hipótese de a extrema-direita chegar à Assembleia da República, apelando a um "exame de consciência".

"O Livre não olha só para si, nem olha só para o umbigo. O Livre preocupa-se com esta possibilidade e acha que é necessário fazer um exame de consciência das elites institucionais, políticas e jornalísticas, se este cenário se vier a confirmar", disse, referindo-se à possibilidade de o Chega eleger um deputado, conforme apontam as previsões.

21h42 -
Paulo Rangel, do PSD, ressalvou como um "aspeto interessante" o aparecimento de pequenos partidos na assembleia. Quanto à vitória socialista, o advogado disse que o partido de António Costa "morreu na praia". "Seria de esperar uma eventual maioria absoluta. Fica aqui um sabor a pouco", disse.

21h38 - André Ventura, líder do partido Chega, reagiu aos primeiros resultados à boca das urnas: "Os resultados deixam-nos muito motivados. O Chega quer melhorar a qualidade da nossa democracia". 

"Queremos apelar que até aos resultados finais se mantenha esta contenção", continuou enquanto discursava perante os jornalistas na Avenida José Malhoa, em Lisboa.

21h31 -
À saída da sede do CDS, Assunção Cristas não quis prestar declarações aos jornalistas. "Deixem-me descansar", disse, evitando falar sobre possíveis sucessores. A líder dos centristas abandonou o Largo do Caldas acompanhada pelo marido.

21h25 - 
André Ventura, líder do Chega, apelou "à calma" com a eventual eleição de um primeiro deputado à Assembleia da República, garantindo que o seu partido é democrático e "não há razões para alarme".

"O Chega é um partido democrático. Não há razão para alarmes nem ataques inusitados. O Chega não vem para minar a democracia", afirmou.

21h06 - Assunção Cristas abandona a liderança do CDS:
Assunção Cristas anunciou este domingo que não se irá recandidatar à liderança do partido do CDS no próximo congresso extraodinário, que pediu para ser convocado em breve.


"Durante quatro anos o CDS foi uma oposição forte. Muitas vezes sentimos que fomos uma voz isolada no Parlamento. Assumimos o resultado com humildade democrática. Pedirei a convocação do conselho nacional do CDS", disse a líder dos centristas.

20h59 -
 A número dois da lista do PAN por Lisboa, Inês Sousa Real, afirmou que o grande objetivo do partido "está alcançado", com a eleição de mais do que um deputado e consequente possibilidade de criar um grupo parlamentar.


"O nosso grande objetivo está alcançado. O PAN será certamente capaz de alcançar um grupo parlamentar, duplicando assim a sua representação", afirmou a número dois da lista do PAN por Lisboa e porta-voz do partido para a noite eleitoral, Inês Sousa Real, que reagia às projeções das televisões sobre os resultados das legislativas.

20h39 - 
Pedro Nuno Santos, cabeça de lista por Aveiro do PS, ressalvou a vitória dos socialistas e comentou as declarações de David Justino, acerca de "excesso de triunfalismo". 

"Não nos peçam para ficarmos tristes quando as projeções todas dão uma grande vitória ao PS, uma grande vitória à esquerda portuguesa e uma derrota para a direita. Não podíamos pedir melhor", respondeu.

Para o cabeça de lista do PS por Aveiro, não há razões para pensar que o próximo governo não dura quatro anos.

O ministro das Infraestruturas e Habitação, que durante os primeiros anos fez a ponte no Parlamento com o PCP e o Bloco de Esquerda, "Estamos a pôr a carroça à frente dos bois. Vamos com calma. As projeções são boas, a primeira reação só podia ser boa".

20h32 - O dirigente comunista Jorge Pires reconheceu que a CDU vai obter um resultado mais baixo nas eleições legislativas do que há quatro anos, mas sublinhou que a votação alcançada "permite continuar nessa luta" pelos trabalhadores e o povo.

"Não é este resultado, eventualmente mais baixo, que nos tira essa força para continuar a lutar. Não, é um resultado que nos permite continuar nessa luta", disse o membro da comissão política do Comité Central do PCP.

20h29 - 
As projeções dos resultados eleitorais que apontam para a vitória do PS, foram recebidas na sala onde está a comunicação social quase em silêncio, com apenas alguns deputados presentes.

20h28 -
As projeções que dão uma queda do CDS nas eleições legislativas foram recebidas com um silêncio absoluto na sede nacional do partido, em Lisboa.

Às 20h00, quando a SIC anunciou a sua projeção, dado que há uma única televisão na sala de conferências de imprensa dos centristas, estavam apenas dois militantes, que ouviram a projeção dada para o CDS, entre 2,4% e 5%, com dois a oito deputados.

Na sala contigua, estavam uma dezena de militantes de semblante carregado.

20h26 -
David Justino, vice-presidente do PSD, começou por saudar o PS, naquela que foi a primeira reação social-democrata às projeções televisivas das eleições desta noite.

David Justino quis começar por "chamar à atenção para o excesso de triunfalismo", "uma posição que se torna ridícula". "As margens são muito grandes, mas não põem de parte o reconhecimento de uma vitória do PSD, numa noite em que todos ganham", concluiu o deputado.

20h22 - 
Os 144 membros do Comité Central do PCP, órgão dirigente alargado entre congressos, vão ser convocados para reunião na terça-feira para debater os resultados eleitorais de hoje e perspetivar o futuro rumo do partido.

O outra força política da coligação, "Os Verdes", vai reunir os 15 membros da direção, ou seja, a sua comissão executiva nacional, quarta-feira, pelas 19h00, na sede lisboeta, junto à Assembleia da República, igualmente para analisar os resultados eleitorais e as ações a adotar pelo partido.

20h17 -
Jorge Costa, do Bloco de Esquerda, disse estar "perante uma derrota histórica da direita. O país não esqueceu a governação do PSD". "Somos a terceira força política em Portugal", atirou.

20h12 - 
Ana Catarina Mendes, do PS, fez a primeira reação formal do partido à vitória que se azivinha nas eleições.


"Os portugueses votaram pela estabilidade governativa e o PS empenhar-se-à para que os próximos quatros anos sejam de estabilidade governativa", disse no Hotel Altis, em Lisboa.

"É uma derrota histórica no conjunto do PSD e do CDS. É uma derrota histórica da direita em Portugal", continuou, sem avançar para já cenários de possíveis aliados.

20h00 - 
De acordo com a projeção à boca da urna da Intercampus para a CMTV, o PS poderá eleger entre 102 a 114 deputados. Outro vencedor da noite será o PAN que, a confirmarem-se estas previsões, aumenta consideravelmente a sua bancada. 

O  PSD surge com uma percentagem de votos entre os 24 e os 30% podendo eleger entre 75 a 85 deputados.

O Bloco de Esquerda aparece em terceiro lugar com 7 a 11% dos votos. Na Assembleia os bloquistas deverão conquistar entre 16 a 22 assentos.

A CDU conquistou entre 4 a 8% dos votos e deverá eleger entre 8 a 14 deputados. O CDS apresenta-se como um dos derrotados da noite com uma percentagem de 2 a 5%, conquistando assim entre 3 a 7 lugares no Parlamento.

2 a 5 por cento dos votos dos eleitores foram destinados ao PAN que poderá vir a eleger entre 4 a 8 deputados.

O partido Iniciativa Liberal poderá eleger até 2 deputados e o partido Chega, tal como o Livre, poderá sentar um representante na Assembleia.

19h59 - O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou que um "bom resultado" nas eleições legislativas, "naturalmente, é vencer", sendo essa "a primeira meta" dos socialistas", mas considerando que é igualmente importante "uma boa participação" dos portugueses.

19h58 - 
O dirigente comunista Armindo Miranda atribuiu a possível alta abstenção nas eleições legislativas às televisões que atrofiam as mentes dos portugueses e ao "capitalismo desumano", ao comentar as estimativas apresentadas pelos diversos canais televisivos.

"Admito. Nós nunca acertamos em tudo quando há uma campanha eleitoral. Avaliaremos. Não estou a ver onde podemos ter falhado. Agora, há um elemento essencial: o atrofiamento das mentes. Há milhões de portugueses com a mente atrofiada. Não têm liberdade de decidir, de forma consciente. Porque lhe atrofiam a mente todos os dias, quando chegam a casa. Carregam num botão e veem a televisão. É-lhes atrofiada a sua mente", afirmou.

19h50 - 
O eurodeputado Paulo Rangel mostrou-se "expectante e confiante" quanto ao resultado do PSD nas eleições legislativas de hoje, e considerou que a abstenção "é preocupante".

"Estou expectante. Portanto, penso que é isso, expectante e confiante" quanto à noite eleitoral, disse o social-democrata, notando que estas foram "as palavras que usou o primeiro-ministro, António Costa".

19h49 - 
A número dois da lista do PAN por Lisboa, Inês Sousa Real, afirmou que "é preocupante" continuar a observar um número elevado de pessoas que não vai votar, salientando que é necessário perceber as razões.

"É preocupante continuar a verificar um elevado número de pessoas que não foram votar", disse Inês Sousa Real, que é a porta-voz do partido para a noite eleitoral, numa reação às projeções das televisões para a abstenção, que indicam valores entre os 35,4% e os 51%.

19h48 - BE apresenta queixa na CNE contra falta de acesso à votação de protesto em Braga:
O BE apresentou queixa na Comissão Nacional de Eleições por lhe ter sido recusado o acesso ao resultado da deliberação da assembleia de voto em Maximinos, Braga, sobre o protesto bloquista contra uma "tentativa de persuasão" dos eleitores.

O delegado do Bloco de Esquerda (BE), Jorge Vilela, denunciou ter apresentado em Maximinos um protesto por elementos daquela junta de freguesia estarem a "encaminhar" os eleitores para as urnas, apontando que havia ali "uma tentativa de persuasão".

19h47 - 
O secretário-geral do PSD, José Silvano, considerou que o aumento da abstenção reforça a urgência "da mensagem da reforma e da forma como comunicam os partidos políticos".

Numa declaração sem direito a perguntas, Silvano considerou que a abstenção aumentou "pelo menos em percentagem", dizendo que falta saber se tal se verifica também no número de votantes.

19h43 - 
O BE manifestou preocupação com as projeções do aumento da abstenção nas eleições legislativas, considerando que as causas deste "fator negativo" são diversas, complexas e exigem "a continuidade de uma reflexão profunda".

"Os dados que nós temos até ao momento e que já são públicos permitem-nos concluir que mais uma vez temos um aumento da abstenção. Temos um aumento em percentagem, mas também, ao que parece, em número absoluto de votantes. Isto é uma preocupação, tem sido uma preocupação constante da democracia", disse aos jornalistas a dirigente do BE, Joana Mortágua, no Teatro Thalia, em Lisboa, o quartel-general dos bloquistas para esta noite eleitoral.

19h42 - 
O dirigente do CDS-PP Diogo Feio admitiu que o aumento da abstenção, revelado pelas projeções das televisões, é "um desafio para o futuro" e um "elemento de reflexão" para todos os partidos.

"Num dia eleitoral sem incidente nem boicotes, o facto de a abstenção, aparentemente de acordo com as projeções, estar a aumentar é um desafio para o futuro. A abstenção é um desafio para o futuro, um elemento de reflexão que os partidos têm que ter", afirmou o diretor do gabinete de estudos, em declarações aos jornalistas na sede nacional do CDS.

19h33 -
À chegada do Hotel Altis, a líder parlamentar do PS, Carlos César, afirmou que tem "muita confiança na decisão" dos portugueses, considerando que é importante renovar "o comprometimento de diálogo com todas as forças políticas" depois das eleições.

19h05 -
Maria Antónia Palla, mãe de António Costa, também já está no Hotel Altis, em Lisboa, para acompanhar o filho na noite eleitoral. A antiga jornalista mostrou-se tranquila e comentou com parcas palavras o incidente que envolveu o líder dos socialistas no último dia da campanha. "A liberdade não é insultar as pessoas sem fundamento", disse.

19h00 - 
As assembleias de voto em Portugal Continental e na Madeira encerraram às 19h00, fechando uma hora depois nos Açores, devido à diferença horária.

18h58 -
António Costa já se encontra no Hotel Altis, em Lisboa, onde irá acompanhar os resultados da noite eleitoral. O primeiro-ministro mostrou-se confiante com as projeções e garante que o seu partido nunca estabeleceu como meta eleitoral a conquista de maioria absoluta, contrapondo que a principal preocupação dos socialistas passa pela existência de estabilidade "qualquer que seja o resultado".



























O líder do Governo aproveitou ainda o momento para revelar que esteve esta tarde, a partir da residência oficial em São Bento, em contacto telefónico com o seu homólogo britânico, Boris Johnson, numa conversa sobre o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

"No caso concreto, estive em São Bento a tratar do 'Brexit'. Estava agendado num telefonema com o primeiro-ministro do Reino Unido", declarou o líder do executivo português.

18h56 -
A taxa de abstenção ter-se-á fixado entre os 44 e os 48%, segundo aponta a projeção da CMTV. Deste modo, tudo aponta para que a abstenção tenha atingido um novo máximo de sempre, o que a confirmar-se representará o quarto recorde de abstencionismo consecutivo em legislativas.

18h48 - Longas filas em escola de Gaia e queixas de poucas mesas de voto: 
Eleitores que votam numa escola do centro de Vila Nova de Gaia queixaram-se de terem de enfrentar longas filas, numa secção onde o número de mesas de voto foi reduzido de 15 para oito.

Em causa estão as secções de voto instaladas na Escola Secundária António Sérgio, na freguesia urbana de Mafamude, onde há registos de eleitores que esperaram mais de uma hora pela sua vez, desistiram e voltaram mais tarde, para nova e longa espera.

18h40 - 
O presidente do PSD, Rui Rio, já está no hotel em Lisboa onde irá acompanhar a noite eleitoral. O líder dos sociais-democratas garante que não tem discursos preparados, mas apenas "tópicos" para ler após conhecer os resultados.

Rui Rio disse aos jornalistas que está "bem-disposto", acrescentando que essa é, aliás, uma característica sua.

18h38 - O presidente do Governo Regional da Madeira e cabeça de lista do PSD pelo arquipélago, Miguel Albuquerque, votou hoje na Escola Básica da Ajuda, no Funchal, onde apelou à participação e se manifestou confiante na vitória.

"As expectativas são muito claras: nós já ganhámos as europeias [em maio], ganhámos as regionais, a nossa ideia é fazer 3-0, ganhar também as nacionais", afirmou.

18h37 - A Comissão Nacional de Eleições (CNE) indica não ter recebido qualquer queixa relativamente a boicotes durante as votações para as legislativas de hoje, nem registo de incidentes significativos.

18h30 - 
A propaganda é proibida em dia de eleições e nem o Facebook escapa a esta regra. A Comissão Nacional de Eleições alerta para todas as publicações feitas na "véspera e no dia de eleições" que sejam consideradas propaganda. Saiba quais é que podem dar multa.

18h22 - O ex-Presidente da República António Ramalho Eanes afirmou que o elevado número de partidos que concorrem às legislativas oferece um maior número de opções aos portugueses e disse que, infelizmente, está convencido que a abstenção vai ser elevada.

Tal como faz há décadas, o general Ramalho Eanes votou acompanhado da mulher, Manuela Eanes, na Escola Luís António Verney, freguesia do Beato, parando várias vezes para receber os cumprimentos de populares.

18h09 -
Assunção Cristas já chegou à sede do partido, no Largo do Caldas, e afirma ter passado o dia com a família. Aos jornalistas, Cristas afirma: "Estou expectante mas aguardo os resultados com muita tranquilidade"
.


18h00 - 
Comparando com 2015, a percentagem de participação nas eleições legislativas é mais baixa até às 16h00, mas quererá isso dizer que as pessoas estão a votar menos? A resposta é não. Saiba porquê.

17h35 -
O número de presos que votaram nestas eleições legislativas quase que quadriplicou. De acordo com o Relatório de Informações e Números sobre o Processo Eleitoral, do Ministério de Administração Interna, 2663 presidiários exerceram o seu direito de voto. Já em 2015, apenas 675 votaram.

17h32 -
Já exerceu o seu direito ao voto nestas eleições legislativas? Participe nesta Pergunta CM. Responda também no Instagram do Correio da Manhã








17h06 - 
Um eleitor de Campolide revelou que o seu nome apareceu com a indicação de já ter votado nas eleições legislativas deste domingo, apesar de tal não ter acontecido. Segundo o Público, Luís Ferreira de Almeida apresentou o cartão de eleitor na respetiva secção de voto em Campolide, Lisboa, mas foi avisado que já tinha votado.

17h01 - Registou-se uma afluência de 38.59% até às 16h00 deste domingo, o que representa uma descida de 5.79 pontos percentuais face às legislativas anteriores. Em 2015, a taxa de afluência à mesma hora era de 44.38%.

Estes dados revelam que mais de quatro milhões de pessoas tinham votado até às 16h00 deste domingo.

16h21 -
Marcelo Rebelo de Sousa foi às urnas mas não escapou às habituais 'selfies'. O Presidente da República votou em Celorico de Basto, a sua terra natal, e no final de exercer o seu direito posou para uma fotografia com alguns dos jornalistas presentes no local, entre os quais Fátima Vilaça, da CMTV.

View this post on Instagram

#eleiçõeslegislativas2019

A post shared by Hugo Delgado (@hugodelgado) on



16h19 - 
A Guarda Nacional Republicana registou seis pequenos incidentes em mesas de voto das eleições legislativas ao início deste domingo, resolvidos em minutos, disse à Lusa fonte daquela força.

"Temos à nossa responsabilidade 6.199 mesas de voto e já houve algumas ocorrências prontamente resolvidas. Não existe nenhuma mesa de voto encerrada", disse o oficial de dia do Comando Geral da GNR.

Segundo a mesma fonte, três incidentes ocorreram em Vila Real, um no Porto, um em Braga e outro em Faro.

15h21 - Comparação Legislativas 2019 e Legislativas 2015: 
Foi registada uma subida no número de votantes nas Legislativas de 2019 comparativamente às últimas eleições em 2015 uma vez que existem mais recenseados.

A participação até ao meio dia é menor em 1,82 pontos percentuais comparativamente a 2015. A afluência às urnas até às 12h00 foi de 18,83%, valor inferior aos 20,65% de 2015.

14h47 - 
BE apresenta queixa contra presidente da Junta de Maximinos em Braga. O delegado do BE à Assembleia de voto de Maximinos, em Braga, apresentou hoje um protesto contra o que considerou ser uma "tentativa de persuasão" por elementos daquela junta de freguesia ao "encaminhar" os eleitores para as urnas.

Em declarações à Lusa, Jorge Vilela explicou que estavam elementos da Junta de Freguesia, afeta ao CDS, à porta do edifício a "receber e encaminhar" quem lá chegava, tendo mesmo visto casos em que "tiraram das mãos os cartões de cidadão" dos eleitores e os "acompanharam até às urnas".

14h27 - 
Votação regressa à normalidade em Barcelos após assembleia fechada a cadeado.Os três portões da assembleia de voto em Perelhal, Barcelos, estavam hoje fechados a cadeado, mas o espaço foi aberto "a tempos e horas", decorrendo o ato eleitoral "dentro de toda a normalidade", disse o presidente da junta.

Em declarações à Lusa, Fernando Miranda admitiu que se trate de um protesto contra a passagem na freguesia de uma linha de muito alta tensão.

13h14 -
O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, exerceu o direito ao voto cerca das 13h12 deste domingo em Celorico de Basto, em Braga.

"O apelo que eu faço é que as pessoas percebam que vão ser quatro anos em que o voto de hoje vai ter uma importância fundamental", disse Marcelo após votar.

"Quando há uma guerra comercial e financeira, que se pode agravar entre potências mundiais, a reunião difícil entre o Reino Unido e a União Europeia, quando há efeitos pela aplicação de tarifas ao comércio europeu, existe o risco de uma desaceleração da economia mundial que atinge todos os países, incluindo Portugal", disse Marcelo, reforçando que os quatro anos que se seguem vão ser difíceis lá fora e, como tal, o voto deste domingo será fundamental.

"Está nas mãos dos portugueses mostrarem que estão atentos ao mundo", acrescentou, assumindo que os portugueses têm o direito de se demitirem do direito de voto, mas que "isso é um erro".

13h05 -
Registou-se uma afluência de 18,83% até ao meio dia, descida de 1,82 pontos percentuais face às anteriores legislativas. Em 2015 a percentagem era de 20,65% à mesma hora.





12h54 - 
Ex-Presidente Jorge Sampaio considera fundamental que portugueses votem. O antigo Presidente da República Jorge Sampaio apelou este domingo aos portugueses para que votem nas eleições legislativas, considerando fundamental para a democracia a participação nos atos eleitorais.

"É fundamental que votem porque é a única maneira de podermos exprimir as nossas convicções, opiniões, visão sobre o futuro que cada um deve ter e assumir a nossa parte de responsabilidade", disse à agência Lusa Jorge Sampaio, após ter votado para as eleições legislativas na Escola Básica Marquesa de Alorna, em Lisboa.

O antigo Presidente da República acrescentou que "sem isso a democracia não funciona".

12h34 -
"Espero dos portugueses boas escolhas", disse o líder do Chega, André Ventura, depois de votar, que também deixou o seu apelo aos portugueses: "Votem independentemente da força política" que escolherem.


12h18 - "Tenho a certeza de que é uma época de alteração significativa e de a Assembleia da República iniciar a ser a imagem da nossa sociedade, que é multiétnica, multirreligiosa, com mais mulheres do que homens".

A cabeça-de-lista do Livre em Lisboa, Joacine Katar Moreira, mostrou-se confiante já depois de ter votado.

12h17 -
 "Vão com tempo votar", apelou Assunção Cristas, após uma longa espera para exercer o seu direito. "Cada voto

conta e é decisivo", recordou a líder do CDS, confessando esperar que a "abstenção baixe significantivamente".


12h15 -
Em Coimbra, o líder do PDR, Marinho e Pinto, também já votou. "Se todos votarmos, o vitorioso é a democracia", defendeu, apelando ao voto.

12h14 -
Pedro Santana Lopes, líder do Aliança, já votou, em Lisboa. "Apelo a que muita gente venha votar", disse: "Gostava que fosse uma grande festa da democracia". 


Sobre os resultados, confessou esperar conseguir um "grupo parlamentar - "E, como diria o monsieur La Palisse, um grupo é de pelo menos dois", atirou – e que cerca de 70% dos portugueses tivessem votado.

11h50 - Joacine Katar Moreira, cabeça-de-lista do Livre em Lisboa
, também se prepara para votar e mostra-se positiva e feliz pela afluência às urnas.

"É uma ótima afluência, isto significa que é uma hora de uma mudança significativa", sublinhou Joacine.

11h41 - Assunção Cristas, presidente do CDS-PP,
está na Escola Secundária de Miraflores, em Oeiras, para exercer o direito ao voto. Dezenas de pessoas estão na fila.

11h37 -
"Estou tranquilo e satisfeito", disse o líder do PSD, Rui Rio. "Espero que a abstenção baixe", acrescentou Rio. 

"O meu estado de espírito é o melhor", assegurou, garantindo estar "tranquilo e satisfeito" com o que foi feito na campanha. "Participar é um dever de todos nós, até por gratidão a quem sofreu para podermos votar", recordou, lembrando os elevados níveis de abstenção das eleições em Portugal. 

"Se nenhum partido agrada a solução é votar em branco", concluiu o líder do PSD.

11h33 - Rui Rio, líder do PSD
, prepara-se para votar na Junta de Freguesia de Massarelos, no Porto. Ao final do dia deverá deslocar-se até Lisboa para acompanhar a noite eleitoral.

11h31 -
Luís Montenegro, ex-líder parlamentar do PSD, já está na Escola D. Manuel Gomes de Almeida, em Espinho, para exercer o seu direito ao voto.

11h29 - 
Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Clemente, disse que as eleições legislativas deste domingo são "um momento decisivo", pelo que ninguém se deve abster.

11h13 - O líder do Pessoas-Animais-Natureza (PAN), André Silva, considerou este domingo que o partido vai continuar

"a fazer a mesma política que tem feito nos últimos quatros anos", contribuindo para que "Portugal seja um lugar melhor para se viver".

O líder do PAN falava à imprensa depois de exercer o seu direito de voto numa escola, em Lisboa. Sereno e tranquilo, André Silva referiu que o PAN não é um partido de Governo, que "não é tempo de o PAN estar no Governo".



11h09 -
O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, apelou ao voto dos jovens. "O voto foi um direito conquistado",

concluiu. Jerónimo mostrou-se feliz por ser a primeira vez que o neto mais velho vota.

"Acho que foi uma campanha muito dinâmica que os portugueses puderam acompanhar. Esperamos que isso tenha reduzido a abstenção. Aqui, neste momento, diria que [a afluência] não está muito superior à última batalha. Em termos de legislativas, está muito idêntico", analisou Jerónimo.

11h01 - Jerónimo de Sousa do PCP
e André Silva do PAN também já votaram.

10h42 - Tino de Rans, líder do R.I.R., já votou e diz estar confiante na descida da abstenção.

10h31 -
Carlos Guimarães Pinto, presidente da Iniciativa Liberal, também já exerceu o direito ao voto. O líder da Iniciativa Liberal destacou a inovação da campanha do partido. Carlos Guimarães Pinto acredita que há poucas razões para abstenção visto que há muita possibilidade de escolha.

10h21 - 
Freguesia de Sabugal demonstra descontentamento por barragem com abstenção.  Os habitantes da freguesia de Malcata, no concelho do Sabugal, no distrito da Guarda, estão a abster-se de votar nas eleições deste domingo, por estarem descontentes com o funcionamento da barragem local, segundo fonte autárquica.

O presidente da Junta de Freguesia de Malcata, João Vítor, disse à agência Lusa que a mesa de voto "abriu normalmente às 08h00", mas como a população "decidiu não votar", pelas 09h30, apenas tinham votado dois eleitores.

10h09 - Catarina Martins
, coordenadora do Bloco de Esquerda, já exerceu o seu direito ao voto em Vila Nova de Gaia. "O apelo que eu faço às pessoas é que não deixem de vir votar", afirmou Catarina Martins.

"O apelo que fazemos é sempre este, que ninguém deixe de exercer o seu direito de voto", disse. Catarina Martins afirmou que ia ficar algum tempo com a família e mais tarde iria para Lisboa.



"Irei estar algum tempo com a minha família e depois irei até Lisboa", disse a coordenadora do BE. "É quem vota quem escolhe o futuro do nosso País", concluiu.



10h00 -
O primeiro-ministro e líder do PS, António Costa, entrou cerca das 10h00 na Escola Básica Jorge Barradas, em Benfica, para exercer o seu direito de voto. Costa votou às 10h07.

O primeiro-ministro revela que houve um "grande aumento de afluência às urnas no estrangeiro". António Costa sublinha que hoje é o dia dos "cidadãos fazerem a sua escolha e exercerem o direito de voto".



"Cada um dos votos conta, cada um dos votos decide. Vamos exercer a liberdade, eu já exerci a minha", concluiu António Costa.


09h40 - 
Novos deputados deverão tomar posse no final de outubro. Os 230 deputados que vão ser eleitos nas legislativas de hoje vão tomar posse na primeira sessão plenária da XIV legislatura, que, se se repetirem os prazos de há quatro anos, poderá realizar-se na penúltima semana de outubro.

No entanto, a data da primeira sessão parlamentar está dependente de vários prazos legais.

09h26 - 
Saiba o que precisa e onde pode votar para as legislativas:

O que é preciso para votar?
Podem votar os cidadãos portugueses maiores de 18 anos que se encontrem inscritos no recenseamento eleitoral português, no território nacional ou no estrangeiro. Para exercer o seu direito de voto, basta indicar o seu nome ao presidente da mesa e entregar o documento de identificação, que pode ser o cartão de cidadão ou o passaporte.

Caso não os tenha consigo, a identificação faz-se por meio de qualquer outro documento oficial que contenha fotografia atualizada ou através de dois cidadãos eleitores que atestem, sob compromisso de honra, a sua identidade, ou ainda por reconhecimento unânime dos membros da mesa.


Como saber o local de voto?
A consulta desta informação pode ser feita na Junta de Freguesia, na página oficial "www.recenseamento.mai.gov.pt", através da aplicação móvel MaiMobile (disponível na App Store e Google Play) ou enviando uma SMS (gratuita) para o 3838 (escrevendo: RE nº de identificação civil data de nascimento no formato AAAAMMDD). Também é possível ligar para a linha de apoio ao eleitor (808 206 206).



08h12 - 
População de Montalegre tenta boicotar eleições legislativas. Morgade, freguesia do concelho de Montalegre, volta este domingo, por ocasião das eleições legislativas, a manifestar-se contra a instalação de uma exploração de lítio naquela região, a cargo da empresa LusoRecursos.

Este domingo de manhã, os portões da escola primária, onde decorre o ato eleitoral, ainda chegaram a ser fechadas a cadeado, numa tentativa de boicote, mas a normalidade foi reposta antes das 08h00 da manhã, e as urnas acabaram por abrir conta com normalidade. Votam cerca 320 eleitorados. 

08h00 -
As mesas de voto para as eleições legislativas abriram este domingo às 08h00 em Portugal Continental e na Madeira, encerrando às 19h00.

Nos Açores, as mesas de voto abrem e encerram uma hora depois em relação à hora de Lisboa, devido à diferença horária.
Montalegre População Morgade Lisboa Europa Porto política eleições eleições nacionais política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)