Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Militares travam Rocha Andrade

As Forças Armadas travaram a nomeação de Rocha Andrade para secretário de Estado da Defesa. Segundo apurou o CM, o nome do ex-subsecretário de Estado do Ministério da Administração Interna (MAI) causou ondas de contestação nos vários ramos das Forças Armadas. Sinais desse mal-estar terão chegado mesmo até ao Presidente da República.
2 de Fevereiro de 2008 às 11:00
Autor da reestruturação da PSP e da GNR, o braço-de-ferro entre Rocha Andrade e os militares remonta ao tempo em que propôs a criação da figura de um general de quatro estrelas para chefiar a GNR, equiparando-o aos chefes das Forças Armadas. Esta inciativa mereceu o veto de Cavaco Silva e foi, posteriormente, retirada pelo grupo do PS. Face aos sinais de contestação, Sócrates optou por não levar avante a ideia inicial de criar mais uma secretaria de Estado no Ministério da Defesa.
Tal como o CM noticiou na edição de ontem, as maiores mudanças ocorreram no MAI e no Ministério da Agricultura. Para a Cultura entra a única mulher na lista dos novos membros do Governo. Paula Fernandes dos Santos transita do Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde era chefe de gabinete de João Cravinho. A nova secretária de Estado tem um percurso profissional ligado à área da cooperação e apoio ao desenvolvimento mas já foi vogal da administração do Teatro Nacional de São Carlos.
No MAI entram José Miguel Medeiros, que deixa o cargo de governador civil de Leiria com os elogios conjuntos das distritais de PS e PSD, e Rui Sá Gomes para a Secretaria de Estado da Protecção Civil, até agora director-geral dos Serviços Prisionais e antigo director do SIS, que passa a ser secretário de Estado da Administração Interna. Ascenso Simões transfere-se deste ministério para o da Agricultura. Francisco Ventura Ramos continua como secretário de Estado adjunto e da Saúde, sendo a quarta vez que é empossado neste cargo, e tem agora como colega o deputado do PS Manuel Pizarro.
INCOMPATIBILIDADE COM MINISTRO
Fernando Rocha Andrade era até ontem subsecretário de Estado da Administração Interna, com responsabilidades no orçamento desse ministério. Tinha também sob a sua alçada a gestão dos meios aéreos de combate aos fogos florestais e a administração do processo eleitoral.
Mestre em Direito pela Universidade de Coimbra, onde lecciona, foi militante da Juventude Socialista entre 1988 e 2001. Passou por vários governos do PS como adjunto do ministro dos Assuntos Parlamentares (1995-1999) ou do ministro da Justiça em 2001 e 2002, altura em que passou para assessor do presidente do Tribunal Constitucional, em 2003 e 2004. Paralelamente a esse período, publicou vários livros sobre direito fiscal. Avançava-se que passaria agora para o Ministério da Defesa. A acrescentar às razões para não ter sido reconduzido no Executivo são apontadas certas incompatibilidades entre Rocha Andrade e o ministro Rui Pereira, que herdou a equipa de António Costa quando substituiu o actual presidente da Câmara de Lisboa.
NOVOS SECRETÁRIOS
CARLOS BAPTISTA LOBO (S. Estado dos Assuntos Fiscais)
Substitui João Amaral Tomás no Ministério das Finanças. Advogado, já passou pelo Governo como assessor dos ministros Sousa Franco, Pina Moura e Guilherme d’Oliveira Martins.
JOSÉ MIGUEL MEDEIROS (S. Estado Protecção Civil)
Abandonou o cargo de governador civil do distrito de Leiria para assumir funções no Ministério da Administração Interna. É elogiado pelas secções
de PS e PSD de Leiria.
RUI SÁ GOMES (S. Estado Administração Interna)
Licenciado em Direito, era o director-geral dos Serviços Prisionais desde 2006. Antes disso tinha sido director de serviços do Serviço de Informações de Segurança (SIS).
ASCENSO SIMÕES (Desenvolvimento Rural e Florestas)
Transferiu-se da Secretaria de Estado da Protecção Civil para o Ministério da Agricultura, onde passa a ser secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e Florestas.
FRANCISCO VENTURA RAMOS (S. Estado adjunto e da Saúde)
Foi reempossado, visto que já fazia parte da equipa de Correia de Campos e foi reconduzido pela nova ministra, Ana Jorge. É a quarta vez que desempenha este cargo.
MANUEL PIZARRO (S. Estado da Saúde)
Deputado socialista, nasceu em 1964 no Porto e é médico de profissão. Foi autor da Lei da Procriação Medicamente Assistida e era vereador sem pelouro na Câmara do Porto.
PAULA FERNANDES SANTOS (S. Estado da Cultura)
Muda-se da Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros, onde era chefe de gabinete, para o ministério, que conta com um novo ministro, António Pinto Ribeiro.
Ver comentários