Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Moita agracia Sócrates

O presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, vai atribuir a medalha de ouro da cidade a José Sócrates. A cerimónia vai decorrer na próxima semana, na mesma altura em que o primeiro-ministro assina o protocolo que passa o Convento de S. Francisco para a posse da autarquia.

20 de Agosto de 2009 às 00:30
Moita Flores atribuiu a medalha de ouro de Santarém a Cavaco Silva na véspera do 10 de Junho e prepara-se para a dar também a José Sócrates
Moita Flores atribuiu a medalha de ouro de Santarém a Cavaco Silva na véspera do 10 de Junho e prepara-se para a dar também a José Sócrates FOTO: Mário Cruz/Lusa

A distinção a José Sócrates surge alguns dias após Moita Flores ter declarado que não irá votar em Manuela Ferreira Leite nas próximas Legislativas, garantindo o autarca que só as "más-línguas" poderão interpretar de forma errada o gesto.

"Sou candidato [independente] pelo PSD com muito orgulho, as minhas desilusões não servem para fazer favores. Não tenho uma relação com ele [José Sócrates] para isso, nem ele precisa de mim", rematou Moita Flores, sublinhando que ainda não decidiu se vai votar no PS nas Legislativas de 27 de Setembro. "Posso votar no BE... ainda não decidi."

O autarca explicou ao CM que a decisão de atribuir a medalha de ouro ao chefe do Governo foi tomada por unanimidade há cerca de dois meses, quando a autarquia estava a preparar o 10 de Junho: "Nessa altura, foi assumido o compromisso de que o Convento seria entregue à autarquia, no âmbito do conjunto de contrapartidas negociadas pela não-construção do aeroporto da Ota."

Segundo Moita Flores, a autarquia deliberou que na assinatura do protocolo seria atribuída a mais alta distinção da cidade ao chefe do Governo, o que deverá acontecer na próxima terça-feira.

QUATRO VEREADORES FALTARAM

A deliberação de atribuir a medalha de ouro da cidade a José Sócrates foi tomada por unanimidade, mas numa reunião onde estiveram presentes apenas cinco dos nove vereadores da Câmara de Santarém. Do PSD, Ricardo Gonçalves, vice-presidente da autarquia, e Vânia Neto, presidente da JSD distrital, alegaram motivos de saúde para justificar a ausência. Luísa Mesquita, vereadora independente, esteve em reunião na Assembleia da República, e Henriqueta Carolo, do PS, não compareceu por compromissos profissionais. Poucos dias após o 10 de Junho, o CM contactou vários vereadores para saber se a atribuição de uma medalha de ouro a Sócrates tinha sido votada. Rui Barreiro (PS) disse na altura que todos os assuntos discutidos tinham sido aprovados por unanimidade, mas escusou-se a dizer quais.

UMA MEDALHA PELO CONVENTO

"É uma jóia da arquitectura de valor incalculável." Foi com estas palavras que o presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, descreveu o Convento de S. Francisco, que abriu as portas ao público há cerca de um mês e já conta com mais de cinco mil visitantes. As obras de limpeza do Convento custaram entre 800 a 900 mil euros à autarquia, que se prepara agora para fazer obras de requalificação.

Segundo Moita Flores, o Governo de José Sócrates solucionou "um problema que se arrasta há mais de cem anos", o que justifica a atribuição da medalha de ouro da cidade ao primeiro-ministro.

PORMENORES

CONVENTO

O Convento de São Francisco, em Santarém, foi fundado em 1242 por D. Sancho II. A extinção das ordens religiosas masculinas, em 1834, e o incêndio de 1940 provocaram a degradação do monumento.

PETIÇÃO

A primeira petição a exigir que o Convento de S. Francisco fosse entregue à Câmara de Santarém data de 1902, de acordo com o autarca Moita Flores.

ESPECTÁCULOS

Após as obras de requalificação do Convento de S. Francisco, Moita Flores pretende que o monumento seja palco de várias exposições e espectáculos de teatro e música.

DISCURSO DIRECTO

"MAIORIA ABSOLUTA PODE FICAR EM CAUSA": Vasco Cunha, Líder PSD-Santarém

Correio da Manhã – A Câmara Municipal de Santarém vai atribuir a medalha de ouro da cidade a José Sócrates. Como vê esta condecoração?

Vasco Cunha – A decisão de atribuir a medalha ao primeiro-ministro foi tomada antes do 10 de Junho, teria sido oportuno que a medalha tivesse sido entregue nessa altura. Não sendo, parece-me que deveria ser entregue depois de o engenheiro José Sócrates perder as eleições. Neste contexto, esta condecoração passa sinais contraditórios para os eleitores.

– Considera que esta distinção pode prejudicar o PSD?

– O engenheiro José Sócrates não fez por Santarém o que deveria ter feito. A avaliação que o PSD faz do Governo é negativa, daí que esta condecoração passe sinais contraditórios para os eleitores e possa colocar em causa a maioria que o PSD não tem mas ambiciona ter nas eleições autárquicas.

– Concorda com os fundamentos para a atribuição da medalha?

– O Governo não está a atribuir [Convento de S. Francisco] nada que não seja de direito da autarquia. Falta saber a componente financeira que o Governo irá transferir para a manutenção do monumento.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)