Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Motoristas asseguram paz social até fim do mês

Pré-acordo entre sindicato e associação patronal na reunião desta terça-feira trava greve.
Salomé Pinto 8 de Maio de 2019 às 01:30
Contestação  parece mais longe, após o avanço das negociações entre o sindicato e a associação patronal
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Contestação  parece mais longe, após o avanço das negociações entre o sindicato e a associação patronal
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Contestação  parece mais longe, após o avanço das negociações entre o sindicato e a associação patronal
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Longas filas nos postos de combustível
Pelo menos até ao final do mês não haverá greve dos motoristas de combustíveis.

Esta terça-feira à noite o Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SMMP) e a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários de Mercadorias (Antram) chegaram a um entendimento à custa da cedências de ambas as partes.

Os motoristas desistiram do aumento do salário-base dos 630 para os 1200 euros, propondo agora um valor inferior mas sem revelar o montante. E a Antram aceitou apresentar essa proposta aos seus associados.

"Conseguimos abertura da parte da Antram para subir o ordenado-base mas para um patamar inferior ao que inicialmente exigíamos", anunciou o vice-presidente do sindicato dos motoristas, Pedro Pardal Henriques.

"Vamos agora aguardar pelo feedback das empresas e dentro de 30 dias voltamos a reunir com o sindicato para fechar o acordo, disse o vice-presidente da Antram, Pedro Polónio, no final da reunião que decorreu no Ministério das Infraestruturas.

O clima de "paz social", como lhe chamou Pardal Henriques, irá manter-se pelo menos durante os próximos 30 dias, findos os quais sindicato e Antram terão de chegar a um acordo final. Sem entendimento, não está descartada uma nova greve.

PORMENORES 
Vencimento melhorado
Motoristas de matérias perigosas reivindicavam um salário- -base de 1200 euros, quando atualmente não ultrapassa os 630. Na reunião de ontem foi fixado num compromisso com a Antram relativamente a um valor que se aproxima do pretendido.

Carreira específica cai
No encontro de ontem, mediado pelo advogado Guilherme Dray, indicado pelo ministro Pedro Nuno Santos, os motoristas abdicaram da criação de uma carreira específica, em troca de um novo subsídio, do fim dos abusos no horário de trabalho e de exames médicos frequentes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)