Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

MP investiga campanha de Passos Coelho em 2015 por suspeitas de financiamento da Odebrecht

Justiça brasileira informa DCIAP que há indícios de pagamentos da construtora.
Andresa Pereira e Diana Ramos 12 de Agosto de 2020 às 08:38
Pedro Passos Coelho
Coligação Portugal à Frente juntou PSD e CDS
André Gustavo foi o publicitário responsável pela campanha de 2011 e 2015
Passos Coelho
Pedro Passos Coelho
Coligação Portugal à Frente juntou PSD e CDS
André Gustavo foi o publicitário responsável pela campanha de 2011 e 2015
Passos Coelho
Pedro Passos Coelho
Coligação Portugal à Frente juntou PSD e CDS
André Gustavo foi o publicitário responsável pela campanha de 2011 e 2015
Passos Coelho
O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) recebeu documentação das autoridades brasileiras que levantam suspeitas sobre um eventual financiamento da construtora Odebrecht à campanha da coligação Portugal à Frente, liderada por Passos Coelho, nas legislativas de 2015.

Já era público o envolvimento do publicitário André Gustavo, responsável pela campanha, na ‘Lava Jato’, no Brasil. Agora, segundo a ‘Sábado’, as autoridades brasileiras enviaram documentação, que foi anexada ao caso EDP, onde dizem ter “informações indiciárias” em “é possível que os pagamentos descritos com referência à obra do Baixo-Sabor [barragem] em Portugal, possam referir-se ao financiamento da campanha eleitoral do PSD para a eleição do cargo de primeiro-ministro, disputada em 2015, pelo ex-primeiro ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho”.

A Justiça brasileira analisou a contabilidade da Arcos Propaganda, a empresa de André Gustavo, e frisa que os pagamentos faturados ‘por dentro’ pela Arcos Propaganda” para o PSD e para a coligação Portugal à Frente totalizaram 868 mil euros e foram feitos no mesmo período e em valores muito semelhantes aos repasses em espécie feitos ‘por fora’” pela Odebrecht.

Ao CM, fonte da campanha da coligação PSD/CDS diz que André Gustavo só prestou serviços “no âmbito da comunicação e marketing político” e que nunca “desempenhou funções de angariação de fundos”.

pormenores
Detenção
Em julho de 2017, o publicitário André Gustavo foi detido no Brasil no âmbito ‘Lava Jato’.

Lista de pagamentos
No Brasil foi apreendida uma lista e nomes de código de pagamentos da Odebrechet. O DCIAP quis saber quem era o ‘Príncipe’ cujas verbas tinham referência ao Baixo Sabor.

Testemunha
Segundo a ‘Sábado’, uma testemunha denunciou que foi André Gustavo que visitou a Odebrecht para receber as verbas.


Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)