Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

“Não estou disponível para governar com o FMI”

O primeiro-ministro, José Sócrates, assegurou este sábado que não está disponível para governar o país com a ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) e reafirmou que Portugal não precisa de ajuda externa.
19 de Março de 2011 às 18:09
José Sócrates garante que intervenção do FMI poria em causa "qualidade de vida de muitos portugueses"
José Sócrates garante que intervenção do FMI poria em causa 'qualidade de vida de muitos portugueses' FOTO: André Kosters/Lusa

"Eu não estou disponível, da minha parte, para governar com o FMI", afirmou Sócrates, que falava na apresentação da moção de recandidatura como secretário-geral do Partido Socialista (PS), no Porto.

A afirmação de Sócrates serviu para para se distinguir do líder do PSD, Passos Coelho  que, segundo o primeiro-ministro, já se mostrou várias vezes disponível para governar  nessas circunstâncias e reafirmou-o mais à frente, no mesmo discurso, ao referir o que significa, na sua opinião, uma intervenção do FMI.  

Sócrates disse que "a agenda do FMI e da ajuda externa levaria o país a suportar programas que põem em causa não só o nosso estado social mas também o que é a qualidade de vida de muitos portugueses".  

"Eu não estou disponível para isso", afirmou, dizendo ainda repetidamente ao longo do discurso que "Portugal não precisa de nenhuma ajuda externa". 

sócrates ps governo fmi passos coelho ajuda externa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)