Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Não pode ser à canelada

O Presidente da República defendeu ontem em Pequim, no seu primeiro dia da visita de Estado à China, um diálogo progressivo e pragmático na defesa dos direitos humanos no gigante asiático. “Não vale a pena entrarmos nisto com os cotovelos nem à canelada”, afirmou Jorge Sampaio, para rematar de imediato que “vale a pena ter um processo sucessivo que aborda essa questão”.
13 de Janeiro de 2005 às 00:00
Numa altura em que o respeito pelos direitos humanos é considerado vital no mundo desenvolvido e apontado como necessário para evitar uma concorrência desleal da parte das empresas chinesas, o chefe de Estado português considera que “a prática corrente vai melhorando” e que este “é um longo processo civilizacional”. Para o Presidente, é assinalável que a China tenha já assinado um pacto com as Nações Unidas sobre o respeito dos direitos humanos e esteja disposta a reforçar esse compromisso, com a assinatura de um outro pacto.
Depois de ter estado na China em 1997, antes da transferência da soberania de Macau para os chineses, Jorge Sampaio não tem dúvidas de que “temos hoje melhores condições globais” para reforçar as relações bilaterais e criar condições políticas para que os empresários portugueses possam entrar no gigantesco mercado chinês. “Devemos aprofundar o diálogo a todos os níveis porque a China é uma potência emergente e vai marcar o mundo nos próximos 10, 20 anos”. Por isso, o Presidente considera que “teremos de esbracejar, no melhor sentido do termo, não podemos perder oportunidades”, uma mensagem que vai direitinha para os empresários.
A criação de condições para as empresas portuguesas investirem na China, a defesa dos direitos humanos e o levantamento do embargo de armas à China por parte da União Europeia, que Portugal defende, foram alguns dos assuntos abordados por Jorge Sampaio no encontro restrito que teve com o seu homólogo chinês, Hu Jintao, ontem à tarde. No final, os dois países assinaram acordos de cooperação económica e de reconhecimento dos graus académicos, a RTP estabeleceu um protocolo de cooperação com a televisão estatal chinesa (CCTV) e as autoridades aeronáuticas de Portugal e China celebraram um memorando que irá permitir facilitar as ligações aéreas entre os dois países.
Ontem, Jorge Sampaio e Hu Jintao fizeram, após as reuniões protocolares, um rasgado elogio ao bom estado das relações políticas entre os dois países e sublinharam a necessidade de reforçar estes contactos a todos os níveis.
BARRETO SURPREENDIDO
O ministro dos Assuntos Económicos disse ontem, após um fórum económico para empresários portugueses e chineses, que “não sabia que a Galp estaria envolvida na viagem” de Morais Sarmento, ministro dos Assuntos Parlamentares, a São Tomé e Príncipe. Isso “é um dado completamente novo para mim”, afirmou Álvaro Barreto.
O governante, que considera a China um mercado prioritário para as empresas portuguesas, disse que, na sequência desta viagem, “Morais Sarmento pôs o lugar à disposição, não foi bem uma demissão, o que o primeiro-ministro não aceitou”. Para Álvaro Barreto, “face à forma como a notícia foi levantada”, Morais Sarmento “teve um acto de dignidade”. E acrescentou que “estou de acordo que tenha colocado o cargo à disposição”, para que “o primeiro-ministro possa reafirmar a sua confiança”.
JOÃO ROCHA INVESTE NA CHINA
João Rocha, empresário e ex-presidente do Sporting, investiu, em conjunto com parceiros americanos, ingleses e israelitas, 200 mil euros numa fábrica de produtos alimentares nos arredores de Pequim.
Depois de ter perdido uma oportunidade de investimento na vinha, o empresário escusa-se, para já, a revelar quais são os alimentos que irão ser transformados, adiantando apenas que uma parte da produção será o priginária de Portugal.
O ex-presidente do Sporting conta obter um volume de negócios de 45 milhões de euros nos primeiros três anos. Mas “a partir daí queremos facturar mais de 300 milhões de euros”. João Rocha está também a negociar a entrada no ramo da construção civil, em particular a venda de apartamentos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)