Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

“Nem que seja preciso alterar as leis do País”

Carlos Carreiras, Presidente do Instituto Sá Carneiro, falou ao CM sobre a IX comissão de inquérito à tragédia de Camarate.
7 de Janeiro de 2011 às 00:30
“Nem que seja preciso alterar as leis do País”
“Nem que seja preciso alterar as leis do País”

Correio da Manhã – Que dados concretos espera ver apurados na IX comissão de inquérito parlamentar a Camarate?

Carlos Carreiras – É de toda a justiça abrir-se a nona comissão de inquérito. Ao fim de trinta anos, o País não pode viver sem saber qual é a verdade de um atentado que vitimou um primeiro-ministro e um ministro da Defesa Nacional.

– Não tem qualquer dúvida de que se tratou de um atentado?

– Não há dúvida. Houve um assassinato que envolveu o primeiro-ministro e o ministro da Defesa. Agora, a questão é saber quem e porquê?

– Espera que se esclareça tudo sobre o fundo de defesa militar do Ultramar?

– A oitava comissão de inquérito recomendava a audição dos peritos internacionais, que só não foram atempadamente ouvidos em virtude da dissolução do Parlamento – em 2004–, e um aprofundamento da investigação das operações de comércio de armamento em que estivessem envolvidos o Estado e empresas portuguesas. Gostaria de deixar ainda uma palavra de reconhecimento ao Parlamento numa matéria em que a Justiça falhou.

– Disse que a Justiça falhou. Alguns processos já prescreveram. Então que tipo de resultados é que se podem alcançar após o inquérito?

– Este processo só ficará definitivamente concluído pela via judicial. Nem que para isso seja preciso alterar as leis do País. É uma situação suficientemente grave para que a Justiça não fique com este ónus de que não foi capaz.

– Está a referir-se à alteração de prazos de prescrição, a regimes de excepção para que se possa realizar um julgamento?

– A tudo aquilo que seja limitador.

– Mesmo que seja mudar as leis?

– Para isso, o ambiente político deve proporcionar todas as condições para que esse pecado capital não fique sobre a Justiça portuguesa.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)