Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Obras públicas sem dinheiro

O PSD acusou ontem o Governo, no Parlamento, de estar a proceder a um “brutal corte” no investimento de obras públicas. A acusação surge depois de o Governo emitir uma circular, na qual são dadas ordens para não adjudicar qualquer obra sem a assinatura do ministro da tutela e do ministro das Finanças, desde 1 de Setembro e até ao final do ano.
13 de Outubro de 2006 às 00:00
Em causa estão 650 milhões de euros de investimento e pagamentos previstos para este ano e que não serão efectuados, o que prejudica obras como Douro Litoral, IC19, CRIL ou o IP8.
O Governo, pela voz do secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas e Comunicações, Paulo Campos, negou as acusações de cortes, afirmando que o Governo quer proceder a uma “gestão correcta e rigorosa”. Campos adiantou que as obras estão em curso e que o Governo tem como objectivo gastar “o dinheiro dos contribuintes apenas onde faz falta”.
Augusto Santos Silva, ministro dos Assuntos Parlamentares, disse no final do debate que o Governo quer prevenir um aumento do défice, devido a endividamentos da Administração Local e Regional, como acontece com a Madeira.
Ver comentários