Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Oliveira e Costa quis vender SLN à Carlyle

O antigo administrador da Sociedade Lusa de Negócio (SLN) e braço-direito de Oliveira e Costa, Francisco Sanches, revelou ontem na Comissão Parlamentar que o ex-presidente do Banco Português de Negócios (BPN) tentou vender 50 por cento do capital da SLN ao Grupo Carlyle e a investidores angolanos. A proposta foi rejeitada pelos accionistas da SLN.

4 de Março de 2009 às 00:30
Francisco Sanches disse que o libanês El-Assir foi trazido para o BPN pela mão de Dias Loureiro
Francisco Sanches disse que o libanês El-Assir foi trazido para o BPN pela mão de Dias Loureiro FOTO: Manuel de Almeida, Lusa

Aquele responsável disse ainda que, após o afastamento de Oliveira e Costa do banco, este continuou a ter reuniões com accionistas da SLN para tentar resolver o problema do Banco Insular. O ex-gestor implicou ainda o filho de Oliveira e Costa nas transferências de contas de clientes do BPN Cayman para o Banco Insular.

Francisco Sanches afirmou também que as offshores do empresário libanês El-Assir eram, afinal, propriedade da SLN. As três sociedades – Ileia, Declas e Adler –, que participaram no célebre negócio da Biometrics em Porto Rico, o qual resultou num prejuízo de 38 milhões de euros, eram empresas da própria SLN.

Aquele responsável declarou que o empresário libanês El-Assir 'foi um cliente trazido para o BPN por Dias Loureiro' e que o BPN Cayman concedeu créditos a várias das suas empresas 'sem garantias reais'.

'El-Assir foi indicado ao BPN por Dias Loureiro. Há questões que desconheço das relações com El-Assir', disse aquele responsável, que admitiu ter comunicado, em 2007, ao Banco de Portugal, os beneficiários finais das offshores.

PORMENORES

MAIS 90 DIAS

CDS-PP pediu alargamento dos trabalhos da Comissão de Inquérito do BPN por mais 90 dias, uma vez que existem vários problemas sem resposta

PLÊIADE

Lencastre Bernardo foi à comissão dizer que não recebe salários desde Dezembro e que a nacionalização do BPN criou dificuldades de financiamento.

ERROS

A consultora Deloitte fez um relatório onde dava conta de erros intencionais na gestão da empresa Plêiade. Lecastre Bernardo desconhecia.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)