Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Passos acusa PS de forjar concursos

O líder do PS, José Sócrates, não se cansa de invocar as virtudes das Novas Oportunidades contra o líder do PSD. Começou o dia na Amadora, à chuva, com o tema, mas mudou o guião devido às declarações sobre a lei do aborto. E fechou o dia em Faro.
26 de Maio de 2011 às 23:12
José Sócrates (à esq.) e Passos Coelho
José Sócrates (à esq.) e Passos Coelho FOTO: Fotomontagem CM

Já Passos Coelho atacou nos contratos de renegociação das concessões de auto-estradas, defendeu portagens em todas as Scut e na A4, no périplo em Bragança, e acusou o Executivo de "forjar" os concursos públicos internacionais, com os vencedores conhecidos antes mesmo do lançamento, numa alusão a um concurso da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária de 1,2 milhões €. O vencedor foi a Universidade Católica.

SEGREDO DE ESTADO: PS

Na reunião da tarde de ontem da comitiva da campanha do PS foi discutida a polémica sobre o aborto para decidir a estratégia de contra--ataque. No final, os socialistas apontavam as armas ao que ficou definido como a "tripla cambalhota" de Passos Coelho: em Maio de 2008 disse que votou não (contra o aborto), depois sim, porque era preciso avançar, e agora recuou.

SEGREDO DE ESTADO: PSD

Impressionado com a história de um proprietário que esperou 18 anos para ver um inquilino despejado, Passos avisou uma plateia de jovens de que não está em condições de dar subsídios, a propósito da habitação jovem. "Não posso dizer isso à malta", confessou, em mangas de camisa, numa iniciativa no Facebook. A dormida foi em casa dos pais, em Vila Real.

sócrates passos coelho aborto novas oportunidades campanha eleições
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)