Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Passos Coelho desmente José Sócrates

Chefe do Governo nega ter sido convidado para vice-primeiro-ministro pelo PS. Ângelo Correia diz que foi uma "iniciativa pessoal" de Luís Amado
26 de Outubro de 2013 às 08:40
Sócrates almoçou ontem com o presidente da EDP, António Mexia, num restaurante em Lisboa
Sócrates almoçou ontem com o presidente da EDP, António Mexia, num restaurante em Lisboa FOTO: Tiago Sousa Dias

Pedro Passos Coelho desmente ter sido convidado por José Sócrates para o cargo de vice-primeiro-ministro. Porém, Sócrates insistiu ontem na sua versão, segundo a qual desafiou Passos Coelho para uma coligação governamental na altura da "crise financeira europeia" e dos sucessivos pactos de estabilidade, entre 2010 e 2011.

Em declarações ao CM, o social-democrata Ângelo Correia, antigo conselheiro pessoal do líder do PSD, confirma que o então ministro dos Negócios Estrangeiros do PS, Luís Amado, lhe telefonou em 2011, "numa iniciativa pessoal, sem citar o nome de José Sócrates, a dizer que entendia como desejável um governo de unidade nacional entre o PS e o PSD".

Na altura, acrescenta Ângelo Correia, Luís Amado pediu-lhe ainda que "sondasse Passos Coelho para saber qual era a sua sensibilidade sobre o assunto. Mas não fez convites para lugares e pode ter tentado forçar uma coisa que Sócrates não queria".

Ainda ontem, Sócrates almoçou com o presidente da EDP e antigo ministro de Santana Lopes, António Mexia, no restaurante Olivier Avenida, em Lisboa. Mexia foi nomeado para o lugar por José Sócrates quando este era primeiro-ministro. Foi, aliás, no Museu da Eletricidade, da EDP, que o ex-líder do PS lançou o seu livro, na quarta-feira.

Nas recentes declarações ao ‘Expresso’, Sócrates afirmou: "Nomeei para a Caixa um tipo do PSD, o Mexia para a EDP... E fala-me em amigos pouco recomendáveis? (...) Quem é que decide o que é um bom amigo?"

PASSOS COELHO SÓCRATES CASO DESMENTIDO
Ver comentários