Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Passos não jura fim de sacrifícios

"Não posso jurar que não haverá mais medidas de austeridade". A declaração foi feita ontem pelo primeiro-ministro, Passos Coelho, numa entrevista à TVI , em que garantiu que está previsto que a Economia nacional recupere novo fôlego em 2013.
29 de Março de 2012 às 01:00
Primeiro-ministro e líder do PSD, Passos Coelho, reúne hoje com bancada parlamentar do partido
Primeiro-ministro e líder do PSD, Passos Coelho, reúne hoje com bancada parlamentar do partido FOTO: Bruno Colaço

"Digo, nesta altura, que não temos necessidade de encarar mais medidas", começou por dizer o chefe do Governo, salvaguardando que "há riscos", até porque, destacou, "a situação de emergência nacional não está ultrapassada". Estas afirmações surgiram no dia em que foi revelado um documento, citado pelo site do ‘Sol', em que o Governo admite estar "pronto para tomar medidas adicionais que se revelem necessárias para garantir a execução orçamental adequada" em 2012.

Comentando os números do desemprego, que rotulou de "chaga social", o primeiro-ministro destacou a necessidade de "encontrar políticas activas"sobretudo para os mais jovens, cuja taxa de desemprego já "é superior a 35%", e para os portugueses com mais de 40 anos, que "enfrentam riscos superiores".

Passos Coelho revelou ainda que o resultado das negociações relativas às rendas do sector da energia será conhecido "nas próximas semanas", destacando que os "contribuintes serão menos penalizados".

O presidente do PSD e o primeiro vice, Moreira da Silva, vão reunir-se hoje com o grupo parlamentar do partido.

PASSOS COELHO GOVERNO CRISE AUSTERIDADE PSD ENTREVISTA
Ver comentários