Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Paulo Portas: "Governo insistiu em iludir até ao último dia"

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, defendeu esta quinta-feira que o próximo Governo não pode iludir os portugueses e considerou positivo o apelo de Cavaco Silva à responsabilidade dos partidos políticos.
31 de Março de 2011 às 21:57
Presidente do CDS-PP diz que próximo Governo "não pode mentir"
Presidente do CDS-PP diz que próximo Governo 'não pode mentir' FOTO: Nuno André Ferreira/Lusa

"Pareceu-me positivo o discurso do Presidente da República na medida em que ele insiste nalguns pontos que nós concordamos. O que se exige hoje acima de tudo é autenticidade. O próximo Governo de Portugal não pode iludir, não pode mentir, não pode disfarçar", afirmou Paulo Portas.  

Numa declaração após o anúncio da convocação de eleições legislativas antecipadas, Portas considerou que terminou esta quinta-feira "um ciclo político em que o Governo insistiu em iludir as pessoas até ao último dia" sobre a situação financeira de Portugal. 

"O ponto de partida é difícil e creio que todos os portugueses sentem, quando vêem dignitários estrangeiros pronunciar-se sobre decisões soberanas do nosso país, os portugueses que são um povo e uma nação antiga, percebem que transitoriamente nos conduziram a um protectorado e que o único caminho digno é recuperar a nossa autonomia e a nossa liberdade", disse. 

Portas apoiou o apelo do Presidente da República ao sentido de responsabilidade dos partidos políticos na campanha eleitoral e disse que se recusará a entrar "num eterno pinguepongue" sobre as "culpas deste e daquele".

Paulo Portas Dissolução da Assembleia Cavaco Silva Eleições antecipadas CDS-PP
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)