Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

PCP mantém comitiva de receção a PS de há quatro anos, "Verdes" com a 'baixa' de Heloísa

O membro da comissão política do Comité Central e também do secretariado nacional José Capucho vai igualmente marcar presença no encontro.
Lusa 8 de Outubro de 2019 às 17:50
Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa, líder do PCP, a falar aos jornalistas
Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa, líder do PCP, a falar aos jornalistas
Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa, líder do PCP, a falar aos jornalistas
O PCP vai manter a mesma comitiva de há quatro anos na receção de quarta-feira ao PS, liderada pelo secretário-geral, Jerónimo de Sousa, em reunião sobre a futura solução política, depois das eleições legislativas de domingo.

Segundo fonte comunista, além do líder, estarão presentes, pelas 16h00 na sede nacional da rua Soeiro Pereira Gomes, Lisboa, os dirigentes Jorge Cordeiro e Francisco Lopes e o líder parlamentar, João Oliveira, tal como em 2015. O membro da comissão política do Comité Central e também do secretariado nacional José Capucho vai igualmente marcar presença no encontro.

Há quatro anos, em 07 de outubro de 2015, a comitiva socialista foi encabeçada pelo atual primeiro-ministro, António Costa, acompanhado do presidente socialista, Carlos César, da sua adjunta, Ana Catarina Mendes, do futuro secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, e de Mário Centeno, que viria a ficar, até agora, com a pasta das Finanças.

Na altura, o secretário-geral do PCP reafirmou ao seu homólogo socialista a disponibilidade para viabilizar um elenco governativo do PS e impedir novo executivo da coligação PSD/CDS-PP. Domingo, na noite eleitoral, Jerónimo de Sousa declarou que nada obsta à indigitação do socialista e primeiro-ministro, António Costa, como chefe de um novo Governo, mas esclareceu que "não haverá repetição da cena do papel", referindo-se às fotografias da assinatura de acordos bilaterais, entre PS, BE, PCP e PEV, que viabilizaram o executivo minoritário socialista, ou seja, a denominada "geringonça".

Desta feita, António Costa, com o objetivo de formar executivo estável de legislatura, repetindo entendimentos políticos com o Bloco de Esquerda, PCP e PEV, e alargando-os agora a forças como o PAN e o Livre, vai ser novamente acompanhado por Carlos César e Ana Catarina Mendes, mas sem Centeno nem o agora ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos. No seu lugar vai estar o seu sucessor como secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro.

O também chefe de Governo, que deverá ser indigitado ainda hoje após a audição de todos os partidos com assento parlamentar por parte do Presidente da República, e restante comitiva começam a ronda de encontros com os partidos à sua esquerda e com o PAN pelas 10:00, na sede do Livre, deslocando-se depois ao "quartel-general" do PAN, ambos em Lisboa.

Pelas 14h00, o líder socialista estará na sede de "Os Verdes" (PEV), junto à Assembleia da República, seguindo depois para o PCP. Na rua da Palma, com o BE, a reunião está marcada para as 18h00.

O PEV vai ter os seus dirigentes Manuela Cunha, José Luís Ferreira e Mariana Silva a receber os socialistas, na ausência da líder parlamentar, Heloísa Apolónia. A deputada ecologista concorreu pelo círculo eleitoral de Leiria e não foi eleita. Há quatro anos, em 09 de outubro de 2015, foi Heloísa Apolónia a receber António Costa e seus acompanhantes, juntamente com José Luís Ferreira, que deverá ser o novo líder parlamentar do PEV, e a membro da comissão executiva nacional Manuela Cunha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)