Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Pedido dinheiro para campanha

Manuel Godinho, único arguido em prisão preventiva no processo ‘Face Oculta’, queria a todo custo resolver o diferendo com a Refer. E uma das propostas que lhe foram feitas por um quadro da empresa foi avançar com dinheiro para o financiamento da campanha do PS. Outra era afastar Ana Paula Vitorino do Governo, considerada "um entrave". Só assim seria possível ultrapassar os diferendos judiciais e voltar a ganhar as empreitadas daquela empresa pública.
2 de Novembro de 2009 às 00:30
O empresário Manuel Godinho é o único arguido da operação ‘Face Oculta’ que está preso preventivamente
O empresário Manuel Godinho é o único arguido da operação ‘Face Oculta’ que está preso preventivamente FOTO: José Rebelo

Luís Pardal, presidente do conselho de administração da Refer que abriu um inquérito ao acidente na linha do Tua, também parecia não colaborar, o que obrigou Godinho a intensificar os contactos. O empresário falou com Carlos Pais de Vasconcelos, Lopes Valentim e Espadinha Guiomar, todos quadros da Refer, para que aqueles lhe fornecessem informação privilegiada e lhe abrissem portas de forma a conseguir ganhar alguns dos concursos.

Dizem os mandados de busca emitidos pelo Ministério Público que Manuel Godinho lhes deu telemóveis para poderem falar em segurança e prometeu contrapartidas financeiras caso aceitassem colaborar.

Nos meses seguintes, os contactos foram intensos. Entre Fevereiro e Abril, Manuel Godinho falou quase diariamente com o quadros da Refer. Foi recebendo informação detalhada e soube sempre, antecipadamente, da abertura dos concursos. Sabia até o que os concorrentes tinham para oferecer, de forma a melhorar as propostas.

A 25 de Março, pelas 12h41, Manuel Godinho e Carlos Vasconcelos voltam a conversar. Nessa altura já era claro que Luís Pardal não cederia. Ana Paula Vitorino também não agradava ao empresário de Ovar, porque protegia o presidente do conselho de administração, recusando-se a afastá-lo. "Carlos Vasconcelos afirmou (....) que a superação do seu problema poderia ter como contrapartida a entrega de um donativo para uma campanha partidária", lê-se no mandado. Nas semanas seguintes a Polícia Judiciária filmou diversas entregas em dinheiro.

FUNCIONÁRIO "RIGOROSO" OBRIGA A MUDANÇA

A 8 de Abril, Manuel Godinho soube que ganhara mais um concurso público com a Refer. Caber-lhe-ia a eliminação de 15 lotes de resíduos ferrosos, o que o empresário tentou logo que resultasse num lucro maior do que o previsto. A 15 de Abril, Espadinha Guiomar avisou--o de que não poderia adulterar o peso dos resíduos e apropriar-sede resíduos nobres como se de ferrosos se tratassem por causa de um funcionário "rigoroso". Guiomar tentou "amolece-lo", mas a solução acabou por ser mudar a hora do transporte.

PORMENORES

ANA PAULA VITORINO

A ex-secretária de Estado dos Transportes, que saiu do Governo, escusou-se a comentar ao ‘CM’ as referências ao facto de ser um "entrave" aos negócios de Godinho. "Não comento investigações", afirmou.

PRESSÕES

Dois advogados prometeram pressionar a secretária de Estado Ana Paula Vitorino para que demitisse Luís Pardal e conseguisse que a O2 voltasse a ganhar todos os concursos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)