Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

PEDROSO SÓ REGRESSA INOCENTE

O ex-ministro socialista Paulo Pedroso só regressará à actividade política quando a sua inocência estiver completamente provada no âmbito do processo Casa Pia, disse ontem um dos principais dirigentes do PS. Fica assim afastada a hipótese de o porta-voz socialista regressar ao seu lugar de deputado no caso do Tribunal da Relação de Lisboa anular a prisão preventiva decretada a 22 de Maio pelo juiz do Tribunal Criminal de Lisboa, Rui Teixeira.
3 de Julho de 2003 às 00:00
Paulo Pedroso
Paulo Pedroso FOTO: Jorge Paula
O recurso da prisão preventiva, apresentado pelo advogado de Pedroso, Celso Cruzeiro, deu entrada segunda-feira no Tribunal da Relação de Lisboa, devendo ser distribuído a um juiz desembargador no próximo dia 7. Como o processo tem carácter de urgência, 30 de Julho é o limite para o Tribunal decidir se mantém ou não a prisão preventiva de Pedroso.
SECRETARIADO INALTERADO
No entanto, segundo o mesmo elemento do PS, para Paulo Pedroso regressar à política não bastará que o processo em que é acusado de crimes de abuso sexual de menores seja arquivado. Pedroso “exige que a sua inocência seja totalmente provada”, acrescentou a mesma fonte.
Perante estes factos, o porta-voz socialista Vieira da Silva, que substituiu neste lugar Paulo Pedroso, afirmou não ter “um horizonte temporal definido” para a sua permanência no cargo, afastando também, para já, quaisquer alterações ao nível do secretariado nacional do partido. “O PS continuará a funcionar independentemente da disponibilidade das pessoas em cada momento”, respondeu Vieira da Silva.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)