Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Portas arrasa código

"Trinta por cento de contribuições num salário baixo, é um confisco." A frase do líder do CDS-PP tem sido proferida várias vezes ao longo dos últimos meses e, ontem, Paulo Portas voltou a repeti-la no momento em que assinava uma petição on-line para revogar o novo Código Contributivo.
17 de Janeiro de 2011 às 00:30
O líder do CDS-PP, Paulo Portas, assinou petição on-line
O líder do CDS-PP, Paulo Portas, assinou petição on-line FOTO: João Miguel Rodrigues

"Um jovem que ganhe cerca de mil euros, e que pagava à Segurança Social 154,69 €, vai passar a pagar 237,28 € no primeiro ano e 296,60 € no terceiro ano." O exemplo é dado pelos centristas para denunciar um "aumento encapotado de impostos". Por isso, Portas pediu "uma onda que obrigue a Assembleia da República a abrir os olhos e rever este aumento de contribuições especialmente brutal para os jovens".

"Temos de fazer uma opção sobre como tratamos as pessoas que trabalham e as pessoas que dão trabalho aos outros. Ou as estimulamos ou as penalizamos", pediu Portas num apelo à mobilização da sociedade civil.

O lançamento da petição ‘Código contributivo, nem obrigado!’ conta já com mais de 400 signatários e foi feito na Biblioteca Municipal de Sintra. Na ocasião, Portas alertou para o efeito dos aumentos das contribuições sociais no actual cenário de "recessão" e de "600 mil desempregados".

Outro dos exemplos apontados pelo CDS é o de trabalhadores agrícolas: "Um trabalhador que aufira 550 euros, a contribuição passa de 115,50 € para os 122,65 €."

Um comerciante com um volume de negócio mensal de dez mil euros, mas lucro de mil euros/mês, pagava, antes da entrada em vigor do Código, 159,72 €. Agora, passa a pagar 237,28 €.

O CDS propôs o adiamento da entrada em vigor do código para 1 de Janeiro de 2012 num projecto de resolução, mas votou isolado o seu diploma.

PAULO PORTAS CÓDIGO CONTRIBUTIVO PETIÇÃO
Ver comentários