Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Portas incentiva empresas a "acreditarem" na Revolução

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, disse esta segunda-feira na Tunísia que espera ter resolvido os problemas das empresas portuguesas no País, após uma ronda de contactos com membros do governo de Tunes.
17 de Outubro de 2011 às 17:53
"Ouvi os empresários, conversei com os ministros sobre os problemas que eles estavam a sentir e se eu tiver ajudado a resolvê-los tanto melhor. Vamos ver", disse Paulo Portas
'Ouvi os empresários, conversei com os ministros sobre os problemas que eles estavam a sentir e se eu tiver ajudado a resolvê-los tanto melhor. Vamos ver', disse Paulo Portas FOTO: Paulo Cunha/Lusa

"Ouvi os empresários, conversei com os ministros sobre os problemas que eles estavam a sentir e se eu tiver ajudado a resolvê-los tanto melhor. Vamos ver", disse Paulo Portas a uma semana das eleições para a Assembleia Constituinte na Tunísia, as primeiras eleições livres após a queda do regime do Presidente Zine el Abidine Ben Ali, em Janeiro.  

"Quis deixar um sinal claro de que tal como a Lusofonia tem a ver com a geografia da língua e foi o primeiro sinal da nossa política, o segundo sinal é o magrebe porque são os nossos vizinhos a sul", disse Paulo Portas após encontros com o primeiro-ministro Beji Caid el Sebsi e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohamed Mouldi Kefi, esta segunda-feira em Tunes.  

"Este gesto vai ser valorizado e tinha de ser antes das eleições. Depois virão muitos, dar-lhes um sinal de confiança. Foi preciso agora para que a Europa não fique para trás. Esse sinal foi bem recebido" pelo governo da Tunísia, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.   

Neste momento operam na Tunísia mais de 50 empresas portuguesas e apesar dos problemas que segundo Paulo Portas "são óbvios" e "naturais" em processos de mudança como o que se vive actualmente na Tunísia as empresas esperam estabilidade.  

"Obviamente que as empresas portuguesas, que fazem um investimento considerável, estão à espera de uma sociedade que estabilize e de uma economia que vai ter de crescer. De cada vez que geramos riqueza aqui, estamos a gerar postos de trabalho em Portugal porque são empresas que estão em Portugal mas que se internacionalizaram", disse Paulo Portas que se encontrou também com o presidente da Instância Superior Independente para as Eleições, Kamel Jendoubi, na capital da Tunísia.   

O responsável pelo processo eleitoral disse ao ministro dos Negócios Estrangeiros que as eleições estão a ser preparadas desde Junho e que "confia que tudo vai decorrer sem problemas".  

"Há alguns problemas mas que não são relevantes e esperamos que a adesão venha a ser muito elevada", disse Kamel Jendoubi.  

As eleições para a Assembleia Constituinte estão marcadas para dia 23. 

paulo portas negócios estrangeiros governo empresas empresários
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)