Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Portas: “Subir impostos é aumentar recessão”

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, recusou esta quinta-feira um novo aumento dos impostos em Portugal, considerando que essa medida significa "aumentar a recessão".
24 de Março de 2011 às 17:39
Paulo Portas acusou PSD de "defender os privilégios dos gestores públicos"
Paulo Portas acusou PSD de 'defender os privilégios dos gestores públicos' FOTO: Mário Cruz/Lusa

"Eu uso de franqueza, quando concordo, concordo. Quando discordo, discordo. E tenho que vos dizer isto com toda a franqueza. Subir impostos é aumentar a recessão. Disse-o ontem e digo-o hoje", afirmou Paulo Portas, acrescentando que "se as pessoas querem uma mudança em Portugal não é para que fique tudo na mesma".  

O líder do CDS-PP dirigia-se à bancada do PSD durante o debate do diploma dos democratas-cristãos que visava a actualização das pensões mínimas, sociais e rurais ao valor da inflação, e que foi chumbado com o voto contra do PS e a abstenção do PSD e votos favoráveis das restantes bancadas.  

Um novo aumento do IVA foi hoje admitido pelo líder do PSD, Pedro Passos Coelho, que, em Bruxelas, confirmou que, a haver necessidade de ajustamentos, será nos impostos sobre o consumo e não sobre o rendimento, comprometendo-se a não cortar salários nem pensões.  

Após o PSD ter anunciado que inviabilizaria o diploma, Paulo Portas acusou ainda o partido de Passos Coelho de "defender os privilégios inaceitáveis dos gestores públicos que têm salários e prémios exagerados" e considerou que "não é um bom sinal" a bancada social-democrata permitir que "as pensões  mínimas, sociais e rurais fiquem congeladas".

paulo portas cds-pp pensões actualizações parlamento impostos recessão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)