Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Portugueses culpam Crato e Teixeira da Cruz

Sondagem CM/Aximage revela opinião dos portugueses sobre a atuação da ministra da Justiça no ‘caso Citius’ e do ministro da Educação na colocação de professores.
José Rodrigues 16 de Novembro de 2014 às 18:30
Nuno Crato e Paula Teixeira da Cruz
Nuno Crato e Paula Teixeira da Cruz FOTO: José Sena Goulão/Lusa e Hugo Rainho

A maioria dos portugueses não tem dúvidas em atribuir ao ministro da Educação, Nuno Crato, e à ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, a responsabilidade pelas falhas na colocação de professores nas escolas e pelo caos nos tribunais devido ao colapso da plataforma informática Citius.

Segundo uma sondagem CM/Aximage, realizada nos dias 7 a 10 do corrente, 58,8% dos inquiridos consideraram que foi "uma desculpa" da ministra da Justiça quando se queixou de sabotagem no ‘ Citius’. Em resposta à pergunta "A ministra da Justiça tinha razão quando se queixou de sabotagem no caso Citius?", apenas 30,9 dos inquiridos disseram que foi sabotagem, e 10,3% não manifestaram opinião.














No caso da abertura do ano letivo, 66,2% dos inquiridos afirmaram que a culpa das falhas é do ministro e do seu secretário de Estado. No entanto, 30% acham que a culpa deve ser atribuída aos serviços do ministério, 1,2% responderam que "nem o ministro nem o secretário de Estado" têm culpa, e os restantes 2,6% não têm opinião.















Ficha técnica

Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.

Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 603 entrevistas efectivas: 277 a homens e 326 a mulheres; 116 no Interior Centro Norte, 151 no Litoral Centro Norte, 102 no Sul e Ilhas, 164 em Lisboa e Setúbal e 70 no litoral centro sul; 161 em aldeias, 207 em vilas e 235 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.

Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 7 a 10 de Novembro de 2014, com uma taxa de resposta de 83,9%.

Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 603 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%).

Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

Nuno Crato Paula Teixeira da Cruz Citius sondagem cm aximage
Ver comentários