Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Presidente nomeia marido para cargo na Câmara Municipal de Góis

Antigo motorista da câmara foi promovido a chefe de gabinete.
Paula Gonçalves 11 de Maio de 2019 às 10:27
Câmara de Góis está envolta em polémica com a nomeação de um familiar da presidente, a socialista Lurdes Castanheira
Câmara Municipal de Góis
Câmara Municipal de Góis
Câmara de Góis está envolta em polémica com a nomeação de um familiar da presidente, a socialista Lurdes Castanheira
Câmara Municipal de Góis
Câmara Municipal de Góis
Câmara de Góis está envolta em polémica com a nomeação de um familiar da presidente, a socialista Lurdes Castanheira
Câmara Municipal de Góis
Câmara Municipal de Góis
A nomeação do marido da presidente da Câmara de Góis, Lurdes Castanheira, eleita pelo PS, como chefe de gabinete está a dividir a população do concelho. Para uns a decisão é "perfeitamente aceitável" enquanto outros criticam a nomeação.

Conhecido entre os mais velhos por ‘Tonito’, António Gonçalves foi mais de 10 anos motorista da autarquia. Em 2012 foi promovido a secretário e entretanto nomeado chefe de gabinete em dois mandatos consecutivos.

A última nomeação ocorreu no final de 2017, já depois do casamento com a autarca.

Na vila as opiniões dividem-se. "É mau. Era motorista dela e desde que passaram a ter uma relação foi promovido e agora já é senhor doutor e todos lhe levantam a pala", diz uma moradora, que pede para não ser identificada. Opinião semelhante tem António Vicente, 74 anos: "É errado por ser marido e mulher. Na questão moral não é aceitável".

Já Ilda Pascoal não vê "qualquer problema": "É competentíssimo." Na mesma linha, Casimiro Simões diz que basta ser competente e "gostar da terra", ao lembrar que António Gonçalves "é um homem da serra". Maria de Lurdes Barata reconhece que "pode não ter currículo mas é competente para o cargo".

Lurdes Castanheira não esteve esta sexta-feira disponível para prestar declarações, mas fonte da autarquia disse que a nomeação é legal. Ao ‘Observador’ a autarca justificou a decisão pela "confiança pessoal" e que ficou "mais barato" do que recrutar uma pessoa externa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)