Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Presidente pede rapidez na aplicação da futura estratégia para sem-abrigo

"O importante foi refletirmos sobre a nova estratégia e queremos que corra rapidamente a sua aplicação", disse.
17 de Abril de 2017 às 23:13
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República apelou hoje a que a futura estratégia nacional para os sem-abrigo seja rapidamente implementada e prometeu não deixar cair o assunto, quer com novas reuniões com instituições que tratam este problema, quer no terreno.

"O importante foi refletirmos sobre a nova estratégia e queremos que corra rapidamente a sua aplicação. O prazo é muito longo, até 2023, mas há muita coisa a fazer, quanto mais depressa começar a ser feito melhor", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, no final da segunda reunião de trabalho com instituições de apoio aos sem-abrigo.

Depois de uma primeira reunião no início de abril, na sede da Comunidade Vida e Paz, a segunda reunião realizou-se hoje no Palácio de Belém e incluiu pela primeira vez representantes do Governo - Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social -, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e das câmaras municipais de Lisboa e do Porto.

"Há uma concordância geral quanto à importância desta estratégia, às linhas de atuação de todos, públicos, privados, sociais. Eu tive oportunidade de manifestar a esperança que a regulamentação da estratégia, a passagem aos planos de ação concreta, a calendarização, obedeçam a um ritmo que não seja lento. Há uma grande vontade de ver o resultado de aplicação da nova estratégia", resumiu o chefe de Estado.

Na terça-feira haverá na Assembleia da República um debate público, com a participação do Governo, sobre a Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas Sem-Abrigo, que tem um horizonte temporal entre 2017 e 2023, depois de a última estratégia ter terminado em 2015.

O Presidente da República frisou que este "é um desafio nacional que pode ser vencido pela sociedade portuguesa", apelando a que "para lá dos bons propósitos" de todas as instituições que lidam com o problema no terreno "se vá mais longe nos objetivos pretendidos".

A próxima reunião ficou marcada para junho, altura em que o chefe de Estado espera que existam já "mais dados" sobre a regulamentação e planos de ação concretos a cargo do Governo, que deverá aprovar esta nova estratégia em Conselho de Ministros. No entanto, Marcelo prometeu voltar ao terreno e realizar iniciativas com estas instituições junto das pessoas sem-abrigo "nas próximas semanas e ao longo dos próximos meses".

Questionado sobre se estas iniciativas podem ser entendidas como um ultimato ao executivo, o Presidente respondeu que "o Governo é o primeiro a ter interesse" numa rápida implementação da estratégia.

O chefe de Estado escusou-se também a apontar prioridades que devem estar incluídas no documento, dizendo que "seria deselegante" fazê-lo antes o executivo o ter apresentado.

"É evidente que foram retiradas muitas lições. Há uma preocupação nesta estratégia: ir mais longe na coordenação, na conjugação de esforços, isso é muito positivo", defendeu, ainda assim.

Por outro lado, salientou, "há também uma preocupação que é olhar para o médio prazo e para a saída da rua" das pessoas sem-abrigo.

"Isso quer dizer condições de habitação e de acesso ao emprego. Tudo isso deve esperar agora algum tempo, que é o tempo previsto para a estratégia ser posta de pé", afirmou.

Na primeira reunião de trabalho e hoje estiveram presentes representantes da Comunidade Vida e Paz, da Associação CASA - Centro de Apoio ao Sem-Abrigo, da AEIPS- Associação para o Estudo e Integração Psicossocial, da Associação Solidária para uma Vida Como a Arte, da GAS Porto - Grupo de Ação Social do Porto e da Pastoral Penitenciária da Igreja Católica.

Nessa ocasião, Marcelo foi mais longe no discurso e pediu que a nova estratégia do Governo de combate à situação dos sem-abrigo tenha como objetivo erradicar este problema em 2023.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)