Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Privados abrem portas a acordo entre TAP e Governo

David Neeleman rompe silêncio e diz que Estado pode entrar na comissão executiva.
Raquel Oliveira 30 de Junho de 2020 às 08:26
Companhia aérea deverá receber um empréstimo do Estado, com autorização de Bruxelas, no valor de 1,2 mil milhões
Companhia aérea deverá receber um empréstimo do Estado, com autorização de Bruxelas, no valor de 1,2 mil milhões FOTO: Miguel Baltazar
David Neeleman quebrou esta segunda-feira o silêncio para "rejeitar as declarações sobre o empenho dos privados no futuro" da TAP e manifestar-se aberto a um acordo com o Governo. A posição do acionista foi conhecida depois de Marques Mendes garantir que o acordo está iminente e um dia antes de o ministro das Infraestruturas ir ao Parlamento.

Os acionistas privados estão "disponíveis para aceitar a participação do Estado na comissão executiva imediatamente e mesmo antes de uma eventual capitalização do empréstimo", diz David Neeleman numa mensagem enviada à Lusa.

"Apesar de não ter sido essa a nossa proposta, agradecemos muito o apoio do Estado português através de um empréstimo de emergência à TAP e aceitamos obviamente as medidas de controlo da utilização desse empréstimo", afirmou o acionista. Na prática, a dizer o mesmo que o presidente da comissão executiva dissera aos deputados a semana passada.

O ministro das Infraestruturas manifestou, entretanto, "alguma perplexidade" perante as afirmações de Antonoaldo Neves. Num podcast do PS, Pedro Nuno Santos recordou que quem "vai fazer a injeção" de capital na empresa é o Estado português, logo não "era a atual comissão executiva que estaria a fazer um favor ao demonstrar disponibilidade para aceitar um membro" naquele órgão.

A questão do poder executivo na TAP coloca-se devido ao empréstimo de 1,2 mil milhões de euros que o Estado foi autorizado por Bruxelas a fazer à companhia aérea.

O líder do PSD voltou também a defender a intervenção do Estado: "Não vale a pena meter um euro na TAP se não houver um plano de negócios consistente para o futuro, senão significa que estamos a meter dinheiro agora e daqui por um ano estão a pedir mais e a TAP continua a ser um sorvedouro de dinheiros públicos brutal".

CP sem capacidade para aumentar comboios em Lisboa
A CP não tem capacidade para aumentar o número de comboios em circulação na Área Metropolitana de Lisboa, afirmou esta segunda-feira o ministro das Infraestruturas, revelando que está em estudo a possibilidade de alterações de horários. Mas Pedro Nuno Santos também garantiu que "a lotação dos comboios está muito abaixo do 1/3 em média, com poucos comboios perto dos 2/3", recusando a sobrelotação.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)