Proibição de contratar a termo jovens à procura do 1.º emprego é "absoluto disparate"

Ex-ministro das Finanças está contra as alterações laborais já aprovadas na generalidade no parlamento.
Por Lusa|29.12.18

O ex-ministro das Finanças António Bagão Félix critica, em entrevista à Lusa, as alterações laborais já aprovadas na generalidade no parlamento, considerando "um absoluto disparate" a proibição de contratar a termo jovens à procura do primeiro emprego.

"Voltar a proibir a contratação a termo por jovem à procura do primeiro emprego é um absoluto disparate, porque um jovem à procura do primeiro emprego o que quer é inserir-se no mercado de trabalho", defende Bagão Félix, que foi responsável pela pasta da Segurança Social e do Trabalho no governo de Durão Barroso.

Em causa estão as alterações laborais acordadas entre o Governo e os parceiros sociais, à exceção da CGTP, que foram aprovadas em junho no parlamento com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD, CDS-PP e PAN, e a rejeição do Bloco de Esquerda, PCP e PEV. Segue-se agora o debate na especialidade, devendo as alterações entrar em vigor em 2019, segundo o Governo.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!