Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

PS acusa Rebelo de Sousa de “ataque de caractér”

O líder parlamentar socialista acusa Marcelo Rebelo de Sousa de usar "factos incorrectos" relacionados com a mudança dos estatutos do PS para fazer um "ataque de carácter" a António José Seguro, sublinhando que 90% da Comissão Nacional votou aquela alteração.
2 de Abril de 2012 às 16:49
Carlos Zorrinho lançou duras críticas a Marcelo Rebelo de Sousa
Carlos Zorrinho lançou duras críticas a Marcelo Rebelo de Sousa FOTO: Pedro Catarino

Carlos Zorrinho foi questionado esta segunda-feira, numa conferência de imprensa no Parlamento, sobre declarações desta manhã do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que considerou que os políticos devem "concentrar-se nos problemas do país" e não em "discussões internas do partido", afirmando que já transmitiu a sua opinião sobre a alteração de estatutos do PS, aprovada no sábado passado, à presidente do partido.

Perante esta pergunta, Zorrinho respondeu desta forma: "O que é relevante nesse caso é que ontem um comentador muito conhecido, o doutor Marcelo Rebelo de Sousa, que é simultaneamente conselheiro de Estado, fez declarações com base em factos incorrectos, ou seja, não se informou, e tinha o dever de se ter informado. E ao mesmo tempo usou esses factos incorrectos para fazer um ataque de carácter a António José Seguro, um homem de grande determinação, de grande lisura, acusando-o de uma golpada".

"É uma acusação completamente infundada e, em última análise, está a chocar todos os 90 por cento de membros da Comissão Nacional do PS que votaram favoravelmente esses novos estatutos. E, portanto, foi uma intervenção do doutor Marcelo Rebelo de Sousa absolutamente infeliz, uma interferência absolutamente inadequada e um ataque que eu profundamente repudio", acrescentou o líder parlamentar socialista.

Os jornalistas insistiram em relação às declarações de António Costa e Carlos Zorrinho reiterou: "Neste momento, o que é essencial, o que é fundamental, é deixar claro aos portugueses que o doutor Marcelo Rebelo de Sousa comentou documentos que n estavam correctos e fez um ataque de carácter a quem não o merecia".


Questionado a seguir sobre o facto de a alteração estatutária, aprovada pela Comissão Nacional no sábado passado, não ser "pacífica" dentro do PS, Zorrinho respondeu: "os órgãos nacionais do PS são o melhor indicador, 90/10, ou seja, há dez por cento de pessoas que não concordaram e isso é muito legítimo em democracia".

No seu espaço de comentário político na TVI, no domingo, Marcelo Rebelo de Sousa criticou a alteração dos estatutos do PS, considerando que "um líder forte não precisa da golpaça de fazer revisões de estatutos, violando os estatutos".

"Se o homem faz isto enquanto é líder da oposição, o que fará quando for primeiro-ministro ?", questionou Marcelo Rebelo de Sousa, que comparou ainda Seguro com José Sócrates, anterior secretário-geral do PS, dizendo: "Faz uma tropelia aos estatutos que nem Sócrates conseguiu fazer."

O Secretariado Nacional do PS acusou Marcelo Rebelo de Sousa, num comunicado divulgado também no domingo, de "faltar à verdade" e criticam o professor por "interpretar e fazer juízos de valor e de intenções sobre o carácter e motivações do secretário-geral do PS".

marcelo rebelo de sousa tvi comentador carlos zorrinho ps seguro estatutos partido
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)