Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

PS alarga distância do PSD

Socialistas sobem muito ligeiramente nas intenções de voto.
11 de Maio de 2014 às 18:01
Pedro Passos Coelho (PSD) e António José Seguro (PS)
Pedro Passos Coelho (PSD) e António José Seguro (PS) FOTO: Hugo Delgado/Lusa e Jorge Paula/Correio da Manhã

A apresentação do Documento de Estratégia Orçamental (DEO) no passado dia 30 de Abril, que prevê o aumento da taxa máxima do Iva de 23% para 23,25% e da Taxa Social Única (TSU) de 11% para 11,2%, fez aumentar a distância do PS em relação ao PSD na intenção de voto dos portugueses para as eleições legislativas do próximo ano.

De acordo uma sondagem CM/Aximage, realizada nos dias 2 a 5 de Maio, portanto nos dias seguintes à apresentação do DEO, o PS sobe muito ligeiramente nas intenções de voto, de 36,1% em abril para 36,2% em maio (mais 0,1 pontos percentuais), e o PSD desce de 31,5% para 30,5% no mesmo período (menos 1 pontos percentuais). Assim, a diferença entre os dois partidos, que era em abril de 4,6 pontos a favor do PS, passou para 5,7 pontos percentuais também a favor dos socialistas.

O CDS-PP, liderado por Paulo Portas, não foi, contudo, penalizado pelos eleitores, pois subiu de 6,1 % em abril para 6,8 em maio, ou seja, mais 0,7 pontos percentuais. Admitindo que a atual coligação com o PSD para as europeias se manterá nas legislativas, os socialistas perderiam as eleições: 36,2% para o PS, contra 37,3% para a coligação PSD/CDS-PP.

À esquerda, a CDU cai 1,3 pontos percentuais (de 11,8% em abril para 10,5% em maio) e o BE sobe de 6,4% para 6,6% (mais 0,2 pontos percentuais). A abstenção mantém-se estável na casa dos 43,4%.

INTENÇÃO DE VOTO LEGISLATIVO

FICHA TÉCNICA
UNIVERSO:
indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.

AMOSTRA: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 605 entrevistas efectivas: 257 a homens e 348 a mulheres; 123 no interior, 262 no litoral norte e 220 no litoral centro sul; 148 em aldeias, 212 em vilas e 245 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.

TÉCNICA: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 2 a 5 de Maio de 2014, com uma taxa de resposta de 81,9%.

ERRO PROBABILÍSTICO: Para o total de uma amostra aleatória simples com 605 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma “margem de erro” - a 95% - de 4,00%).

RESPONSABILIDADE DO ESTUDO: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)