Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

PS aperta Cavaco sobre buraco e lesados do BES

Socialistas querem saber se antigo Presidente conhecia situação financeira do banco antes do aumento de capital em 2014.
João Maltez 12 de Abril de 2021 às 08:13
Cavaco Silva
Cavaco Silva FOTO: Mariline Alves
O PS quer que o antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva explique quando tomou conhecimento da situação financeira em que se encontrava o Banco Espírito Santo (BES). O propósito é ficar a saber se o ex-chefe de Estado tinha informação que, comunicada atempadamente, pudesse evitar o aumento de capital do banco, impedindo o “universo de lesados” que se seguiu. Cavaco só responderá se assim o entender, como estipula, para os ex-Presidentes, o regime jurídico dos inquéritos parlamentares. 

“As perguntas que têm de ser feitas a Cavaco Silva, que era Presidente da República, a autoridade política máxima na altura, é se confirma que tomou conhecimento no final de março de 2014 da exposição do BES ao Grupo Espírito Santo e se essa foi a primeira vez que teve acesso a informação privilegiada do BES”, disse à Lusa João Paulo Correia, coordenador do PS na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco.

Para o parlamentar socialista, “aquilo que todos perguntam é porque é que não se evitou esse aumento de capital, que gerou, como se sabe hoje, um universo de lesados”. Segundo adianta, Cavaco Silva tinha contacto privilegiado com Ricardo Salgado, daí entender que importa perguntar-lhe porque é que não agiu atempadamente e se tomou alguma diligência?”

Cavaco Silva é apenas uma das figuras ligadas ao PSD que os socialistas querem questionar. Pretendem também obter depoimentos escritos do ex-primeiros-ministro Pedro Passos Coelho e do antigo presidente da Comissão Europeia Durão Barroso.

No âmbito da mesma comissão foram já inquiridos a antiga ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, bem como o ex-comissão europeu Carlos Moedas, que à altura da resolução do BES era secretário de Estado adjunto de Passos Ceolho. n *Com Lusa

Sérgio Monteiro é o próximo a ser ouvido na comissão
Sérgio Monteiro, ex-secretário de Estado do Governo de Pedro Passos Coelho e consultor do Banco de Portugal para a venda do Novo Banco, será ouvido amanhã no Parlamento. O gestor, que foi secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações entre 2011 e 2015, será inquirido pelos deputados no âmbito da comissão sobre as perdas do Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução.
Ver comentários