Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

PS: "Cavaco põe em causa a estabilidade política"

Sérgio Sousa Pinto, dirigente socialista, acusou este sábado o Presidente da República de se "intrometer" na agenda do PS sobre casamentos entre pessoas do mesmo sexo, advertindo que, se este se juntar à oposição, criará um ambiente de instabilidade política no País.
19 de Dezembro de 2009 às 20:27
Sérgio Sousa Pinto, do PS, falou sobre reacção do Presidente da República
Sérgio Sousa Pinto, do PS, falou sobre reacção do Presidente da República FOTO: Vítor Mota

Este episódio vem na sequência da reacção de ontem do chefe de Estado, quando secundarizou a questão dos casamentos homossexuais, afirmando que estava centrado em problemas prioritários 'como o desemprego'.

Hoje, o Presidente da República realçou o importante papel da família tradicional na sociedade portuguesa, uma vez que são as crianças que garantem o 'futuro' e, consequentemente, o crescimento económico.

'Um País sem crianças é um País sem futuro', referiu Cavaco Silva.

'A verdade é que não compete ao Presidente da República determinar a agenda do PS nem dos demais partidos. Não é essa a sua função, tem poderes constitucionais muito fortes, que lhe estão confiados, mas a faculdade de se intrometer na agenda dos partidos não é um deles. Se a intenção do Presidente da República, exorbitando aquilo que é a sua legitimidade neste contexto, entende fazer coro com o discurso dos partidos da oposição [de direita], objectivamente está a contribuir para uma dramatização indesejável da nossa vida política e a contribuir para que se ponham em crise as condições de estabilidade política', sustentou Sérgio Sousa Pinto, ex-líder da JS (Juventude Socialista).

Ver comentários