Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

PS exige ao PSD que "não se esconda atrás da coligação"

O PS exigiu neste sábado ao PSD que "não se esconda atrás da coligação" com o CDS-PP e que assuma se quer avançar com a reforma do sistema eleitoral, esperando que a coligação "não obstaculize" esta reforma política.
6 de Outubro de 2012 às 20:33
"O PS procurará compatibilizar a necessidade de aproximarmos os eleitos dos eleitores mas também garantir que o princípio da proporcionalidade da representação parlamentar não é beliscado", afirmou
'O PS procurará compatibilizar a necessidade de aproximarmos os eleitos dos eleitores mas também garantir que o princípio da proporcionalidade da representação parlamentar não é beliscado', afirmou FOTO: d.r.

Em conferência de imprensa e a falar em nome do PS nacional, o líder da federação socialista do PS/Porto, José Luís Carneiro, disse que "aquilo que os socialistas exigem ao PSD é que não se esconda atrás da coligação, que assuma se quer ou se não quer avançar" com a reforma do sistema eleitoral para a Assembleia da República. 

"A coligação não permitiu que se avançasse com a reforma eleitoral para as autarquias locais. Hoje olhamos para as declarações do Dr. Luís Menezes que dá conta de que vão ouvir a coligação, esperamos que a coligação de novo não obstaculize esta reforma política que é ela própria essencial", disse José Luís Carneiro.

O vice-presidente do grupo parlamentar social-democrata disse hoje, também em conferência de imprensa no Porto, que a redução do número de deputados é "uma das bandeiras mais antigas" do PSD, salientando que esta questão deve ser aprofundada "em primeira instância" dentro da coligação PSD/CDS-PP.

Na sexta-feira, em Alenquer, o secretário-geral do PS, António José Seguro, anunciou que o PS vai entregar ainda este ano uma proposta para reduzir o número de deputados na Assembleia da República.

José Luís Carneiro olha assim para as declarações de Luís Menezes como sendo "muito à defesa" ao dizer que aguarda pela posição do CDS em relação a esta reforma.

Na opinião do líder do PS/Porto "nunca há atraso quando se trata de melhorar o sistema de funcionamento das instituições" e o "PSD tem oportunidade de mostrar que tem autonomia estratégia para assumir aquilo que sempre defendeu".

"O PS procurará compatibilizar a necessidade de aproximarmos os eleitos dos eleitores mas também garantir que o princípio da proporcionalidade da representação parlamentar não é beliscado", afirmou, respondendo assim às preocupações manifestadas pelos partidos com menor representação parlamentar.

José Luís Carneiro disse que "há 20 anos que se anda a estudar uma reforma do sistema eleitoral para a Assembleia da República" e que chegou o "momento de decidir e de avançar para essa mesma reforma", sublinhando no entanto que terá que ser feito "com cuidado".

"Aquilo que nós devemos exigir ao PSD que está hoje no Governo é que aproveite essa oportunidade porque também tem do lado do PS esta vontade de avançar com esta reforma", disse.

ps psd coligação governo austeridade josé luís carneiro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)