Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

PS PEDE DEMISSÃO DE DEPUTADA DO CDS

Santana Lopes não vai hoje à Comissão Parlamentar de Obras Públicas explicar o ‘dossier’ do Túnel do Marquês, nem tão pouco haverá reunião. Mas a oposição não gostou da forma como foi conduzido todo o processo e o PS já pede a demissão da presidente da referida comissão, a deputada do CDS-PP, Isabel Gonçalves.
5 de Maio de 2004 às 00:00
O presidente da Câmara Municipal mudou de ideias e decidiu em nome “da separação de poderes” não participar numa audiência proposta pela coligação. Afinal, já entregou um recurso para rever a sentença de suspensão de obras no Marquês, decidida pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa.
Tanto o PS como o BE não compreendem este caso. O vice-presidente da bancada socialista, José Junqueiro, explicou ao CM que o processo foi conduzido à margem da oposição, quer na decisão de chamar à Comissão o autarca de Lisboa, quer na anulação da reunião para o ouvir. Por isso, Junqueiro adiantou que se estivesse “no lugar” da deputada Isabel Gonçalves, demitia-se. Para o parlamentar está em causa a “isenção” da presidente da comissão. Miguel Coelho (PS) também estranha a decisão de ‘ultima hora’ de Santana.
Luís Fazenda, do BE, fala em desvalorização e fuga às responsabilidades do autarca. “Santana enterra-se cada vez mais no Túnel”, afirmou.
Já o líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, considera o pedido de demissão da deputada um “puro disparate”. Em seu entender, a parlamentar agiu de forma “isenta”. “A deputada não solicitou ou anulou a audiência”, lembra Telmo Correia ao recordar que o processo foi tratado entre Santana e o líder parlamentar do PSD, Guilherme Silva (com o apoio do CDS).“Se é preciso demitir alguém será o coordenador do PS na Comissão [José Junqueiro] e encontrar um substituto com um comportamento mais ético”, atacou Telmo Correia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)