Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

PS pede desculpa por uma sua deputada pedir para apagar perguntas a ministra Ana Abrunhosa

Deputado da Iniciativa Liberal questionou Ana Abrunhosa sobre acesso a fundos comunitários por parte do marido da ministra.
Lusa 28 de Setembro de 2022 às 14:26
Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial
Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial FOTO: Lusa
O PS pediu esta quarta-feira formalmente desculpa por a deputada socialista Isabel Guerreiro, em reunião da comissão de Poder Local, ter pedido para apagar a gravação e na ata perguntas da Iniciativa Liberal dirigidas à ministra Ana Abrunhosa.

"O PS pede desculpa à instituição parlamentar, à Iniciativa Liberal em particular e aos demais partidos que estiveram presentes na comissão [de Poder Local] pela forma infeliz como a senhora deputada do PS [Isabel Guerreiro] tinha solicitado a remoção de elementos da ata e da gravação da reunião que tinha decorrido", declarou o vice-presidente da bancada socialista Pedro Delgado Alves.

Hoje, durante a reunião da Comissão Parlamentar de Poder Local, o deputado da Iniciativa Liberal Carlos Guimarães Pinto questionou a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, com o teor de uma notícia do Observador sobre acesso a fundos comunitários por parte do marido da ministra.

De acordo com o Expresso e o Público, o deputado liberal questionou esta manhã a governante sobre a "questão ética" subjacente ao facto de só uma das empresas detidas pelo cônjuge, a Thermalvet, ter recebido 133 mil euros da União Europeia (UE). Carlos Guimarães Pinto defendeu que ou o marido da ministra devolve esse dinheiro proveniente de fundos comunitários ou a ministra tem de demitir-se.

Na sequência desta intervenção de Carlos Guimarães Pinto, a deputada socialista Isabel Guerreiro, eleita pelo circulo de Faro, pediu que a gravação desta parte da reunião fosse apagada e também removida da ata da reunião, alegando que o tema não fazia parte da ordem de trabalhos da reunião.

Perante este episódio, Pedro Delgado Alves falou aos jornalistas, demarcou-se totalmente da atitude da sua colega de bancada e pediu desculpa.

"Obviamente, não nos parece ter havido uma intenção censória da parte da senhora deputada, mas, efetivamente, aquilo que foi declarado não acompanha a prática de várias décadas do PS na Assembleia da República, não corresponde à forma de registar não só historicamente aquilo que acontece aqui, mas também para garantir o escrutínio parlamentar", declarou.

O vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS reforçou depois o seu pedido de desculpa.

"Pedimos desculpa pelo sucedido e temos consciência que será compreendido que um momento infeliz não marca e não manchará a posição do PS de futuro e permitirá que as forças políticas, no caso concreto a Iniciativa Liberal, reconheçam este nosso pedido de desculpa sobre a matéria", acrescentou.

De acordo com o Observador, a Thermalvet, detida a 40% pelo marido de Ana Abrunhosa, recebeu 133 mil euros de um total de 303.275 euros, o que corresponde a mais de um terço dos fundos comunitários recebidos pelo país. Esta empresa foi fundada em outubro de 2020, 15 dias antes do arranque do projeto.

Já a Xiapu, empresa que conta com uma participação indireta do conjugue da ministra, recebeu 66.015 euros no quadro do programa Compete 2020.

 

Ver comentários