Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

PS questiona ataque de PCP

O secretário nacional do PS, Miguel Laranjeiro, desafiou o PCP a esclarecer "qual é o seu adversário principal, se a política de Direita, se o PS".
17 de Março de 2013 às 20:23

O responsável socialista reagia desta forma às declarações proferidas hoje pelo secretário-geral do PCP, em Arraiolos, nas quais acusou o PS de "não estar interessado em demarcar-se" das políticas do Governo e do programa de assistência financeira, por ter recusado um encontro com os comunistas para debater uma política alternativa.


Miguel Laranjeiro, em declarações à Lusa, afirmou: "o PCP elegeu nos últimos anos o PS como seu adversário principal, ora o nosso adversário principal é a Direita e o Governo PSD/CDS-PP".

O responsável socialista recordou que "o PCP se aliou à Direita para fazer cair o Governo socialista", referindo-se aos votos favoráveis por parte do PSD, CDS-PP, BE e PCP, em conjunto, dos projetos de resolução contra o PEC 4 (Programa de Estabilidade e Crescimento), apresentado pelo Governo de José Sócrates, na sequência do qual se demitiu, em 2011, abrindo caminho a eleições, das quais saiu vitorioso o PSD.


Num discurso no final de um almoço que assinalou hoje o 92.º aniversário do PCP, Jerónimo de Sousa contou quem na carta enviada pelo PS aos comunistas para discutirem a possibilidade de formar coligações nas próximas eleições autárquicas, os socialistas "diziam que queriam dar um sinal de esperança aos portugueses que clamam por mudança".


Miguel Laranjeiro argumentou que "são as eleições autárquicas que se aproximam e nesse sentido enviou uma carta quer ao PCP quer ao Bloco de esquerda a propor uma reunião de trabalho".
Laranjeiro afirmou que a intenção dos socialistas era, "de uma forma excecional, ver coligações com o BE e o PCP para derrubar a direita nas autarquias respetivas".


"O PCP recusou acordos à Esquerda para derrubar a Direita", disse Laranjeiro, que sublinhou terem sido os comunistas quem "recusou o encontro".


Jerónimo de Sousa referiu-se às intenções dos socialistas como "um sinal fraco esta coisa de eleger 11 candidatos já escolhidos pelo PS à presidência" de algumas câmaras.


O líder comunista sublinhou que "a solução do país exige mais do que propaganda e golpes de ilusionismo político", e referiu que "o PS queria que o PCP desse uma mãozinha para eleger mais 11 ou 12 candidatos à presidência da câmara de alguns concelhos".

PS PCP ataque Jerónimo de Sousa Miguel Laranjeiro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)