Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

PS voltaria a ganhar as eleições

Caso as legislativas se realizassem hoje o PS venceria com 46 por cento dos votos, um ponto percentual acima do seu resultados nas eleições em Fevereiro de 2005 e 16 pontos acima do PSD, refere o Barómetro Marktest divulgado esta sexta-feira.
29 de Setembro de 2006 às 09:48
Em Fevereiro do ano passado, o Partido Socialista ganhou a maioria absoluta com 45 por cento dos votos, mas o barómetro de Setembro da Marktest para o Diário de Notícias e TSF indica que a vantagem do partido que forma Governo, o PS, para o PSD voltou a aumentar, já que em Julho era de 11 pontos percentuais.
O PS reúne em Setembro 46 por cento das intenções de voto (em Julho obteve 43 por cento) enquanto o PSD desceu agora para os 30 por cento, face aos 32 por cento do mês de Julho.
De acordo com o barómetro, o PCP mantém-se nos dez por cento, o Bloco de Esquerda reúne em Setembro oito por cento (em Julho obteve nove por cento) e o CDS/PP regista a pior votação desde há mais de um ano: dois por cento (face aos três por cento em Julho).
O secretário-geral do PS e primeiro-ministro, José Sócrates, acompanhou o seu partido na subida de popularidade, obtendo este mês 18 pontos positivos (saldo entre as respostas negativas e positivas), contra os 14 pontos obtidos em Julho, sendo o líder partidário mais popular.
Nos restantes líderes partidários, o presidente do PSD, Luís Marques Mendes, subiu oito pontos mas mantém-se no patamar da imagem negativa como líder (tem um saldo negativo de quatro pontos).
O barómetro da Marktest revela também que o Presidente da República, Cavaco Silva, é o político mais popular em Portugal, com um saldo positivo de 54 pontos, uma descida em relação à sondagem de Julho, quando obteve 56 pontos.
A sondagem realizada pela Marktest para o DN e a rádio TSF foi feita entre os dias 19 e 22 de Setembro através de 805 entrevistas telefónicas. O erro de amostragem da sondagem é de mais ou menos 3,45 por cento para um intervalo de confiança de 95 por cento.
Ver comentários