Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

PSD com demissões em Aveiro e boicote em Santarém

Distritais em pé de guerra com Rui Rio após a aprovação final dos candidatos a deputados.
Salomé Pinto 1 de Agosto de 2019 às 01:30
Rui Rio enfrentou um conselho nacional agitado que aprovou as listas para  as eleições Legislativas
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio enfrentou um conselho nacional agitado que aprovou as listas para  as eleições Legislativas
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio enfrentou um conselho nacional agitado que aprovou as listas para  as eleições Legislativas
Rui Rio
Rui Rio
O presidente do PSD, Rui Rio, enfrentou ontem a primeira onda de baixas após a aprovação, em conselho nacional, das listas para as Legislativas. Ao que o CM apurou, Rui Vilar, líder da concelhia de Arouca, e Álvaro Ferreira, ‘vice’ de Oliveira do Bairro, apresentaram a demissão à comissão política da distrital de Aveiro, liderada pelo ‘vice’ de Rio, Salvador Malheiro.

À saída do conselho nacional, Rio afirmou, porém, que o processo de escolha de candidatos foi "razoavelmente pacífico" e que "não houve saneamentos selvagens". Visão que contrasta com os seus correligionários das distritais. "A debandada já começou e esperam-se mais renúncias", revelou fonte social-democrata ao CM.

Em causa, "a limpeza de nomes pela direção nacional", como é o caso de Amadeu Albergaria, indicado por Santa Maria da Feira e afastado da lista de Aveiro. "O desânimo é total", desabafou o presidente da concelhia feirense ao CM, Emídio Sousa. Por isso, espera-se "uma campanha difícil, com a população bastante desmotivada".

No Porto, distrito onde Rio figura em 2º lugar da lista, o ambiente é "de cortar à faca", assume fonte próxima da distrital. "Está tudo em polvorosa porque a direção distrital impôs-se a si própria". O líder da distrital, Alberto Machado, terá admitido "que será muito difícil mobilizar as concelhias para a campanha" e "ninguém acredita que o cabeça de lista Hugo Carvalho consiga motivar o povo".

Setúbal vai praticar os mínimos olímpicos, mas não haverá demissões como tinha ameaçado o líder Bruno Vitorino. "Vamos apoiar o cabeça de lista mas a responsabilidade será dele e da direção nacional", vinca.

Santarém vai boicotar a campanha. "Tendo em conta a desconsideração do dr. Rui Rio, decidimos por unanimidade não participar em nenhuma estrutura de campanha", anunciou ontem o presidente da concelhia, Ricardo Gonçalves.

Conta individual de pensões paga por parte do salário
O programa eleitoral do PSD aprovado no conselho nacional defende o desvio de parte dos aumentos salariais para uma "conta individual" que será gerida por uma "entidade pública", de forma a reduzir os montantes pagos pela "pensão pública".

O PSD compromete-se ainda a devolver todo o tempo de serviço congelado aos professores, num período "não inferior a seis anos" e defende o regresso dos exames de final de ciclo. Quanto ao novo aeroporto de Lisboa, quer reapreciar a solução de Alcochete.

SAIBA MAIS
49
dos deputados eleitos pelo PSD de Passos Coelho em 2015 ficaram fora das listas para as Legislativas aprovadas ontem em conselho nacional. Hugo Soares, Amadeu Albergaria ou Maria Luís Albuquerque foram alguns dos excluídos.

80 a favor e 18 contra
O conselho nacional do PSD aprovou ontem, de braço no ar, as listas para os 22 círculos eleitorais com 80 votos a favor, 18 contra e 10 abstenções. Em 2015, sob o mandato de Pedro Passos Coelho, as listas foram aprovadas por unanimidade.
Ver comentários