Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

PSD está indignado

O pacto para a Segurança Social entre PS e PSD parece quase inviável, nesta fase. Fontes sociais-democratas lembraram ontem ao CM a “indelicadeza” do primeiro-ministro em não ter respondido à carta que o líder do partido, Luís Marques Mendes, enviou a José Sócrates.
13 de Setembro de 2006 às 01:28
“Marques Mendes só anunciou a proposta de pacto uma semana depois de ter enviado a carta ao primeiro-ministro, que já se pronunciou publicamente sobre o assunto, mas não respondeu à carta”, confidenciaram as mesmas fontes no dia em que o PSD organizou um colóquio sobre o ‘Futuro da Segurança Social’. E, do lado de São Bento, a reacção sobre o destino da missiva é sempre a mesma: “Nada a dizer”.
O líder social-democrata, por seu turno, criticou duramente o Governo pela forma como está a conduzir este processo. “Querem tratar de uma matéria desta natureza em circuito fechado e é um erro de palmatória”, declarou.
Marques Mendes garantiu que o modelo do PSD está estudado numa réplica ao ministro do Trabalho, Vieira da Silva. Mais: segundo apurou o CM, na carta enviada ao primeiro--ministro, o líder da oposição afirma que “facultará todas as contas” ao Executivo. Este é um dos argumentos utilizado por Sócrates para não aceitar qualquer acordo, porque falta a quantificação da proposta. O Governo acusa ainda o PSD de querer a privatização do sistema. Mendes diz que não, mas o diálogo está definitivamente comprometido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)