Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

PSD recebeu ilegalmente 233 mil euros

O Tribunal Constitucional (TC) deu como provado que o PSD recebeu ilegalmente mais de 233 mil euros em 2002. Tudo à volta de sete facturas passadas pela Novodesign, Companhia Portuguesa de Design por serviços prestados ao partido em 2002, mas pagas pela Somague.
21 de Agosto de 2007 às 14:32
As suspeitas foram levantadas quando numa inspecção do fisco à sociedade Brandia Creating – Design e Comunicação, onde se integra a Novodesign, foi encontrada uma factura emitida à Somage, com data de 15 de Março de 2002, no valor de 233.415 euros e outras sete, com a mesma data e de montante acumulado no mesmo valor que a anterior, com a indicação “por serviços prestados ao PPD/PSD”. As facturas passadas ao PSD foram posteriormente anuladas e remetidas à Somague. Anexo havia também um documento interno com ordens para transformar as sete facturas ao PSD numa só à Somague.
Por sua vez, responsáveis da Novodesign reconhecem a situação, mas foram incapazes de explicar em que se fundamentou tal liberalidade.
Segundo um acórdão do TC, o PSD violou a lei do financiamento dos partidos, punível com coima e perda a favor do Estado dos valores ilegalmente recebidos.
PSD CONFIRMA NOTIFICAÇÃO
O PSD confirmou que foi notificado pelo TC para esclarecer as dúvidas levantadas sobre o financiamento ao partido com as facturas da Novodesign, mas pagas pela Somague.
"O PSD confirma que foi notificado pelo TC para esclarecer dúvidas suscitadas sobre o financiamento de despesas da campanha eleitoral das eleições autárquicas de 2001" é adiantado num comunicado assinado pelo secretário-geral do PSD, Miguel Macedo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)