Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Puxão de orelhas a Santos Silva

Novo Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas entrou em funções com Cavaco Silva a fazer um aviso ao Governo sobre o hospital militar
8 de Fevereiro de 2011 às 00:30
Luís Araújo e Cavaco Silva ontem em Belém
Luís Araújo e Cavaco Silva ontem em Belém FOTO: Tiago Petinga/Lusa

"Não será de todo compreensível que outros interesses, que não os da instituição, se sobreponham à operacionalidade e à qualidade do serviço prestado aos elementos das Forças Armadas e à família militar." Num discurso institucional, Cavaco Silva abriu uma excepção para lançar um alerta ao novo Chefe de Estado--Maior General das Forças Armadas, general Luís Araújo, e dar um puxão de orelhas ao ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, que assistia à cerimónia de posse a poucos metros do Presidente da República, sobre o novo hospital militar.

A campanha presidencial esteve bem presente no Palácio de Belém. Talvez por isso, num mar de fardas dos três ramos das Forças Armadas, relevo especial para a presença de três ministros que se destacaram em todo o processo eleitoral. Santos Silva, com um ataque duríssimo a Cavaco Silva num comício de Manuel Alegre. Silva Pereira, ministro da Presidência e braço-direito de José Sócrates, que destacou o facto de ser o Presidente reeleito com menos votos na história da democracia. E Rui Pereira, ministro da Administração Interna, protagonista dos problemas informáticos que impediram milhares de eleitores de exercer o seu direito de voto.

Cavaco Silva ignorou-os nas saudações às entidades presentes no Palácio de Belém. Só no final da cerimónia trocou frios cumprimentos com os três. Perante o olhar atento, mas distante, do primeiro--ministro, José Sócrates. Quanto a Luís Araújo, general da Força Aérea que passou pela Casa Civil de Jorge Sampaio, presente na sua posse, frisou no seu discurso que o essencial é recuperar a confiança das Forças Armadas, respeitando a especificidade do Exército, Marinha e Força Aérea.

CÂNDIDATOS NA FORÇA AÉREA

A chefia da Força Aérea, que o general Luís Araújo deixou vaga com a sua nomeação para Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), está a ser disputada por três nomes, entre os quais o actual vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), tenente-general Palma de Figueiredo.

Ao que o CM apurou, o actual vice-CEMFA tem a concorrência dos tenentes-generais Magalhães Pinheiro, comandante da Instrução e Formação da Força Aérea (CIFFA), e Mimoso e Carvalho, que está a colaborar na actualização da história da Força Aérea. Os três militares foram recebidos pelo ministro da Defesa na última semana de Janeiro. A escolha de Santos Silva para CEMFA deverá ser conhecida ainda durante esta semana.

SANTOS SILVA DEFESA CAVACO SILVA HOSPITAL MILITAR
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)