Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

“Quando os impostos aumentam, não voltam a descer”

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, avisou esta quinta-feira que os impostos quando aumentam nunca mais voltam a descer e sustentaou que aquilo que Portugal precisa é de reformas para criar "excedentes orçamentais".
14 de Outubro de 2010 às 16:28
Passos Coelho diz que "promessa de reduzir despesa é uma falácia"
Passos Coelho diz que 'promessa de reduzir despesa é uma falácia' FOTO: Lusa

"Quando os impostos aumentam, nunca mais voltam a descer e a promessa do  Estado, de que vai reduzir a sua despesa, é sempre uma falácia", afirmou o líder do PSD, durante as jornadas parlamentares do Partido Popular Europeu (PPE), que decorrem até amanhã no Funchal.  

Para Passos Coelho, Portugal precisa "gerar, nos próximos anos, excedentes  orçamentais de modo a diminuir a dívida externa". Ainda assim, esse objectivo não deve ser assegurado pela via do aumento dos impostos: "Não é possível criar excedentes orçamentais para o futuro se nos permitirmos, com o aumento dos impostos, não manter pressão sobre a despesa pública". 

O dirigente do PSD apontou que "o Governo socialista foi campeão em fazer a chamada desorçamentação, em criar vários instrumentos que permitam  fazer despesa pública que não vem contabilizada", recordando que "essa despesa, hoje, a que está contratada, representa, a partir de 2014 e durante 25 anos, cerca de 1,5 a 2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) a reflectir-se  em todos os orçamentos nos próximos anos".  

"Estamos num caminho de insustentabilidade se não arrepiarmos caminho  e temos de começar a arrepiar caminho já hoje", destacou.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)