Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Quotas rendem seis milhões aos partidos

BE só recebeu 30 por cento do que angariou em 2014.
Cristina Rita 11 de Junho de 2016 às 10:55
Deputados de algumas bancadas entregam parte do vencimento ao partido FOTO: Tiago Sousa Dias
Cinco partidos receberam 6,2 milhões de euros em quotas e outras contribuições no ano passado. Os valores comunicados à Entidade das Contas, no Tribunal Constitucional, mostram que o PCP é a força política que mais ganhou em 2015: 3,3 milhões de euros.

Em 2012, os comunistas tinham 60 484 militantes registados, a quem pediam, de acordo com o estipulado no congresso, "1% do vencimento ou remuneração". Nesse ano, 43% dos militantes pagaram, em média, 11 euros por mês .

As contas do PCP não têm paralelo. O Bloco de Esquerda recebeu 26 mil euros no ano passado (apenas 30% do que angariou há dois anos: 84 044 euros). Os estatutos do partido têm prevista uma contribuição "na medida das possibilidades", mas sem valores definidos.

O PS ganha pontos ao PSD no que toca a quotas. Ambos os partidos têm descontos e isenções para jovens e desempregados, e as quotas custam, em média, 12 euros por ano. O partido de António Costa amealhou 1,7 milhões e o PSD 1,17 milhões - menos 559 mil euros do que o PS. Porém, as contas socialistas têm um passivo acumulado de 21 milhões de euros.

Os Verdes registaram um valor de 10 106 euros em quotas em 2015, e o PAN, que conseguiu eleger o deputado André Silva, obteve 11 396 euros.

O CDS tem um sistema de quotas facultativas.