Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

RENÚNCIA DO PSD DERRUBA CÂMARA SOCIALISTA DA SERTÃ

Depois da renúncia em bloco dos independentes eleitos pela lista "Juntos pelo Concelho da Sertã", em Abril, esta semana foi a vez dos eleitos pelo PSD da Câmara local renunciarem aos seus mandatos, atitude que vai provocar a queda do actual executivo e a realização de eleições intercalares. O autarca do PS, José Farinha considera que ainda tem "condições para governar".
17 de Julho de 2003 às 00:00
 Os autarcas do PSD da Câmara da Sertã renunciaram ao mandato, insatisfeitos com o actual presidente
Os autarcas do PSD da Câmara da Sertã renunciaram ao mandato, insatisfeitos com o actual presidente FOTO: lídia barata
Álvaro Aires, presidente do PSD da Sertã, que já se assumiu como candidato às eleições intercalares, referiu que a renúncia teve o apoio "dos órgãos distritais e nacionais" do partido.
A governadora civil de Castelo Branco deverá desencadear e fazer concluir o processo da queda da autarquia, no máximo em 90 dias, assim que tenha conhecimento oficial da renúncia dos elementos do PSD, incluindo os suplentes, nomeando, entretanto, uma comissão administrativa. A desistência dos sociais-democratas prende-se com "o alegado descontentamento da população quanto ao desempenho do PS no executivo", acrescentando que a decisão só foi tomada, "depois de auscultar os agentes da sociedade sertaginense". O presidente da Câmara, José Farinha, não entende a atitude dos seus opositores: "Se eles tivessem levado a efeito esta estratégia dois dias antes da reunião do executivo, até se compreendia, mas nesta altura, e depois de termos decidido que as reuniões do executivo ficariam suspensas até ao dia 22 de Agosto, esta decisão não se compreende ".
DEMISSÃO EM BLOCO EM SAMORA
Os autarcas que se demitiram, terça-feira à noite, da Assembleia de Freguesia de Samora Correia não têm grandes expectativas sobre a posição que Jorge Sampaio irá assumir quanto à nova Lei-quadro dos municípios. O documento ainda não chegou a Belém, mas Luzia Neves, ex--presidente da referida Assembleia, considera que o Presidente da República deverá manter o que sempre disse sobre a criação de novos concelhos, ou seja, que está contra. Ainda que discorde inteiramente desta posição, a ex-autarca, eleita pelas listas do PSD como independente, respeita a decisão, seja ela qual for. Quanto à demissão em bloco dos autarcas do PSD e do PS, Luzia Neves sublinhou ao CM que a atitude não "é mais do que um protesto" contra o 'chumbo' do PS e do PSD no Parlamento no passado dia 1 de Julho.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)