Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Rui Rio afasta hipótese de geringonça com partidos à direita

Líder do PSD admite entendimento com CDS mas só com sentido estratégico para o País.
José Castro Moura 11 de Setembro de 2019 às 08:34
Rui Rio foi a debate da Câmara do Comércio e Indústria, onde teve como anfitriões Miguel Horta e Costa e Paulo Portas
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio foi a debate da Câmara do Comércio e Indústria, onde teve como anfitriões Miguel Horta e Costa e Paulo Portas
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio foi a debate da Câmara do Comércio e Indústria, onde teve como anfitriões Miguel Horta e Costa e Paulo Portas
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio voltou a afastar a hipótese de liderar uma geringonça com partidos à direita do PSD após as legislativas.

Num almoço-debate da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, o líder do PSD não podia ser mais claro quando foi questionado sobre essa possibilidade.

"À direita, nunca pode haver uma geringonça em que eu seja o líder, porque à direita tem de ser uma ligação consistente e com sentido", disse Rio com Paulo Portas na plateia. "Somar 116 deputados só com sentido estratégico", afirmou o presidente social-democrata, deixando o recado ao CDS de Assunção Cristas.

Rio criticou ainda a solução formada à esquerda nos últimos quatro anos, sublinhando que "uma geringonça é algo mal amanhado que, no caso da esquerda, foi concertado apenas para haver uma maioria parlamentar e que não tinha um programa estratégico".

Perante uma plateia de empresários e onde Portas foi um dos anfitriões, o líder do PSD revelou ter um "olhar muito crítico" sobre a atuação do Banco de Portugal como regulador.

"Se tivesse estado atento, se tivesse sido mais independente do próprio sistema, nunca teríamos chegado à situação a que chegámos na banca, para não falar só no BES".

Pormenores
Paulo Portas ouviu debate
Paulo Portas, vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa e antigo líder do CDS, almoçou na mesa de honra, ao lado de Rui Rio.

O líder do PSD esteve na iniciativa acompanhado por José Silvano, secretário-geral, e Maló de Abreu, vogal da direção.

Cavaco Silva recordado
As declarações do antigo Presidente da República sobre a solidez do BES pouco antes da derrocada foram recordadas por Rio ao afirmar que o Banco de Portugal não estava ciente do problema quando disse que o GES estava mal e o BES bem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)