Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

SACOS AZUIS NOS PARTIDOS

O Governador Civil do Distrito de Braga, Luís Cirilo, reconhece que "parece ser evidente a existência de 'sacos azuis' em clubes de futebol, empresas e até estruturas partidárias", razão pela qual condena que as investigações sobre a matéria se resumam a apenas algumas entidades e depois se abuse no mediatismo.
29 de Dezembro de 2002 às 00:00
Em causa está a investigação que a Polícia Judiciária tem vindo a desenvolver no Vitória de Guimarães e que levou mesmo à detenção do seu presidente, Pimenta Machado, devido a suspeitas de irregularidades de gestão no clube, a que Luís Cirilo sempre esteve fortemente ligado, designadamente como secretário-geral.

Inclusivamente, o semanário ‘Expresso’ dava ontem conta de que Governo e PSD já manifestaram ao Governador Civil preocupação pelo seu eventual envolvimento no processo. Em declarações ao Correio da Manhã, Cirilo negou, no entanto,“ qualquer quadro de preocupação governamental” com a situação.

"É evidente que, a nível particular, falei com muitas pessoas sobre o assunto, atendendo ao seu mediatismo e à minha ligação ao Vitória, mas nunca houve manifestação de qualquer preocupação do Governo, Ministério da Administração Interna ou até mesmo do PSD", afirmou Cirilo, acrescentando que nunca recebeu qualquer informação ou contacto da PJ sobre a investigação em causa.

Luís Cirilo adiantou, entretanto, ter sido titular de várias contas do Vitória, mas "nenhuma de qualquer 'off-shore' ou 'saco azul'". Além disso, não exerce funções executivas no clube desde há cerca de três anos, quando foi eleito deputado pelo PSD, o mesmo acontecendo na altura em que se deu a transferência de Fernando Meira para o Benfica.

Na linha de Valentim Loureiro e Dias da Cunha, o Governador lamentou também a suspeição criada sobre o futebol, depois das declarações da ex-directora da PJ e do procurador-geral da República e repudiou o mediatismo no 'caso Pimenta', já que normalmente não haveria necessidade de deter uma pessoa que nunca faltou a qualquer intimação para ser ouvida em tribunal. "Deve-se investigar tudo, porque os 'sacos azuis' não serão um problema exclusivo do futebol, mas sem mediatismo nem arranjar bodes expiatórios", defendeu.

LUTA NO PSD

Luís Cirilo é um 'barrosista' confesso e apoiante do ex-presidente da distrital do PSD, Fernando Reis. Antigo bancário, chegou a deputado em 1999. Ocupa agora o cargo de presidente da Assembleia Geral da distrital do partido, depois de ter sido vice-presidente da Comissão Política. Apesar de já ter sido secretário-geral adjunto do partido, nunca foi bem recebido pela maioria 'laranja' de Guimarães. De nada lhe valeu a sua ligação ao Vitória de Guimarães e até a Pimenta Machado, que chegou a defender, sem sucesso, como candidato do PSD à Câmara. Nas últimas eleições para a distrital da JSD, acabou por ser envolvido na luta. Processou judicialmente o novo líder da 'Jota', que em carta enviada a Barroso defendeu a sua demissão e denunciou declarações a um jornal local onde Cirilo terá generalizado a existência de 'sacos azuis' em Portugal. Fonte partidária confessou ao CM que "os únicos problemas que Cirilo teve enquanto governador vieram de dentro do PSD". E enquadrou mesmo a sua conotação à investigação ao Vitória de Guimarães como mais uma acção do "assalto do 'mendismo' à distrital de Braga".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)