Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

SAMPAIO ESPERA PELA REUNIÃO DA ONU

A oposição e os eurodeputados de esquerda exigiram ontem uma tomada de posição imediata do presidente da República às afirmações do primeiro-ministro sobre o apoio de Portugal a uma intervenção dos EUA no Iraque, sem o aval da Organização das Nações Unidas (ONU).
12 de Março de 2003 às 00:00
Jorge Sampaio está à espera dos resultados da reunião do Conselho de Segurança da ONU para poder reunir o Conselho de Estado e tenta ganhar tempo ao afirmar que as divergências políticas em relação à questão do Iraque são “um tema gasto".

A posição assumida por Durão Barroso na segunda-feira acendeu a polémica e, se do lado da esquerda se apela a uma tomada de posição do presidente da República, do lado da direita há quem afirme que Sampaio não tem de se pronunciar, em virtude da política externa ser da competência do Governo.

O eurodeputado comunista Joaquim Miranda apelou a uma rápida tomada de posição do PR sobre a questão do Iraque. "Tem de fazer alguma coisa. O presidente não pode ficar indiferente a uma posição como esta, que é manifestamente inconstitucional", afirmou. O secretário-geral do PS, Ferro Rodrigues, por sua vez, pediu uma audiência com Sampaio. Ao que o CM apurou, o encontro terá lugar já na próxima sexta-feira. Para Pacheco Pereira, eurodeputado do PSD, o Chefe de Estado não tem de se pronunciar, já que não está em causa uma intervenção directa de Portugal no conflito.

Jorge Sampaio defende uma actuação no quadro da legalidade internacional e está contra uma intervenção unilateral dos EUA. Fontes ligadas a Belém afirmam que Sampaio manterá a sua posição, até porque a maioria dos membros do Conselho de Estado é contra uma intervenção unilateral. O presidente, nesta fase, já está mais preocupado com o posicionamento futuro do País.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)