Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

SANTANA LOPES QUER SERVIÇOS EM CHELAS

A Câmara de Lisboa está a estudar a possibilidade de transferir os serviços centrais que funcionam no Campo Grande para novas instalações a construir na zona de Chelas, anunciou ontem o presidente da autarquia.
16 de Dezembro de 2003 às 00:00
"Estamos a pensar construir os serviços em Chelas, que é uma das zonas mais desprotegidas do município, disse Santana Lopes durante a reunião destinada a discutir o Plano de Actividade e Orçamento para o próximo ano.
Segundo o autarca, a instalação dos serviços centrais da câmara pode servir para "puxar pelas zonas mais desprotegidas".
Questionado sobre que serviços poderão ir para Chelas e qual a data da transferência, Santana Lopes limitou-se a dizer que todas essas questões estão ainda a ser analisadas.
Durante a reunião do executivo camarário, o vereador Manuel Figueiredo, do PCP, questionou a viabilidade do projecto, já que as novas instalações não são referidas nem em orçamento, nem no plano de actividades.
O presidente da autarquia não respondeu à pergunta do vereador comunista.
Durante a reunião, Santana Lopes anunciou ainda que a autarquia pretende "medidas urgentes" para o Caneiro de Alcântara, um colector de águas pluviais e residuais.
Rupturas neste colector provocaram nas três últimas semanas dois aluimentos de terra junto ao Bairro da Liberdade, em Campolide.
O primeiro incidente ocorreu a 25 de Novembro, altura em que um autocarro vazio foi "engolido" por um buraco.
No passado sábado, mas na zona oposta, surgiu outro buraco com dez metros de diâmetro, também provocado por um aluimento de terras. "O Caneiro de Alcântara preocupa-me muitíssimo e se calhar teremos que fazer intervenções urgentes", disse.
Ver comentários